MS teve a 6ª menor taxa de desempregados na pandemia, segundo IBGE

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Apesar do aumento no número de pessoas desocupadas, em novembro, Mato Grosso do Sul teve a 6ª menor taxa do país, com 10,6%, segundo a PNAD Covid (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios). O Estado ficou atrás do Paraná, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Rondônia e Santa Catarina.

A população desocupada passou de 137 mil pessoas em outubro para 145 mil em novembro (aumento de 5,8%). Ou seja, mais oito mil pessoas ficaram sem trabalhar em plena pandemia, conforme a pesquisa realizada pelo IBGE (IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Outro índice que também registrou acréscimo foi o número de casos positivos para a covid-19. Em novembro, houve aumento de 36% no número de casos positivos da covid-19 no Estado, se comparado a outubro. Até novembro, em Mato Grosso do Sul, 388 mil pessoas fizeram algum tipo de teste para saberem se estavam infectadas ou não pelo novo coronavírus, representado 14,1% da população do estado.

Mercado de trabalho

Mesmo com o aumento no número de casos, Mato Grosso do Sul permanece com o menor percentual de pessoas afastadas do trabalho devido ao distanciamento social. Em novembro, 19 mil estavam afastados devido ao distanciamento social, representando queda de 9,5% em relação a outubro. O número de pessoas trabalhando em home office teve redução de 20,6% em relação a outubro. Mato Grosso do Sul tem o correspondente a 50 mil pessoas de pessoas trabalhando de forma remota.

Conforme o IBGE os indicadores vêm apresentando quedas sucessivas desde o início da pandemia, à medida em que as restrições de isolamento vão sendo abrandadas. O Estado também tem o menor percentual de pessoas trabalhando que tiveram queda do rendimento. O rendimento médio real efetivamente recebido foi de R$ 2.348,00 em outubro para R$ 2.399,00 em novembro.

Auxílio emergencial

MS tem diminuição percentual nos domicílios que recebem Auxílios Emergenciais.  A proporção de domicílios do estado com o auxílio passou de 39,3% em outubro para 37,9% em novembro, sétimo menor do país, com valor médio do benefício em R$ 498,00 por domicílio.