Aneel autoriza e conta de energia deve ficar 6,9% mais cara em MS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

A conta de energia elétrica deve ficar mais cara em Mato Grosso do Sul. A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou pedido da Energisa para reajustar a tarifa cobrada pelo abastecimento em 6,9%.

A concessionária tenta desde o ano passado aval da agência reguladora para aumentar a tarifa, mas enfrentou uma enxurrada de pedidos de reconsideração feitos pelo Cocen-MS (Conselho de Consumidores da Energisa Mato Grosso do Sul), pelo Procon, deputado Estadual José Carlos Barbosa e pela Defensoria Pública do Consumidor de Dourados em conjunto com a Defensoria Pública da União. A intenção era fazer o reajuste a partir de 1º de julho.

Os pedidos de reconsideração argumentaram que em plena pandemia não seria justo sacrificar o consumidor que já havia visto sua renda afetada. “Nestes tempos de exceção e crise, em que a hipossuficiência e vulnerabilidade do consumidor se afloram ainda mais, o cidadão necessita de maior proteção”, diz o documento enviado pelo Procon, por exemplo.

O relator do processo, julgado na terça-feira (2), entendeu que “reajustes tarifários estão previstos no contrato de concessão da distribuidora e observam a manutenção do equilíbrio econômico-financeiro das concessionárias, nos termos da lei”.

Não há data para a aplicação do aumento. Em Mato Grosso do Sul, a concessionária atende a mais de 1 milhão de consumidores em 74 municípios.