Orçamento de Dourados terá 1% da arrecadação para a cultura

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

cultura-verba_0706
Prefeito Murilo e secretário Carlos Fábio reunidos com membros do Conselho Municipal de Política Cultural de Dourados. (Foto: A. Frota/Assecom).

O prefeito Murilo vai destinar no orçamento do município de Dourados para 2017 a previsão de 1% da arrecadação própria para a aplicação em cultura. A confirmação foi dada a uma comissão do CMPC (Conselho Municipal de Política Cultural) de Dourados, que se reuniu com o prefeito na manhã desta terça-feira.

“Se esse dinheiro realmente foi aprovado no orçamento vai haver uma mudança radical no panorama de cultura em Dourados”, afirma João Rocha, professor e ator e membro do CMPC. É que a destinação no orçamento também precisa da aprovação da Câmara de Vereadores.  “Nós já conversamos com a Comissão de Cultura da Câmara, que já indicou ser favorável a destinação de um recurso maior para a cultura”, acrescenta Bruno Augusto da Silva, chefe da divisão de Ações Culturais da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) e também membro do conselho.

O prefeito Murilo explica que as ações de organização das contas do município ao longo de seis anos de governo possibilitam que a partir de agora se possa destinar esse percentual para o desenvolvimento da cultura em Dourados. Para ele, investir em cultura é investir no desenvolvimento e na promoção de Dourados inclusive em nível nacional, através dos artistas que serão formados com os programas de incentivo.

Participaram da reunião também o secretário de Cultura, Carlos Fábio, e o diretor da pasta Carlos Marinho. Ambos fazem parte do CMPC; Marinho é presidente. Também foi discutido sobre o FIC (Fundo de Investimento em Cultura), cujo edital deve ser lançado em breve.

O secretário Carlos Fábio desta o comprometimento do prefeito Murilo com a Cultura. “Primeiro o prefeito criou a Secretaria de Cultura, que foi um passo importante da organização das ações das culturais no município; agora nos sinaliza com a destinação de 1% da arrecadação própria para a cultura. É uma ação muito importante que vai colocar Dourados em destaque no Estado e até no Brasil, já que se abrem possibilidades enormes na produção de cultura e eventos”, afirma o secretário.

O recurso a ser inserido no orçamento é para o apoio, promoção, desenvolvimento e produção cultural e artística no município e ainda desenvolvimento, obras e manutenção do espaço físico.  Carlos Fábio diz que a Secretaria de Cultura fará agora um estudo sobre as leis que regem sobre a área cultural para a aplicação no orçamento.

Para João Rocha, com mais recursos será possível investir na formação do artista e na formação do público. “Será possível criar um circuito de teatro ou de uma área musical, por exemplo, com apresentações por um período mais longo, inclusive, por toda a cidade, contribuindo também para desenvolver o gosto artístico na população”, afirma. “Vamos poder descentralizar eventos, levando-os para os bairros, oficinas, shows e espetáculos”, acrescenta.

Já Bruno Augusto lembra que 1% não é um valor absurdo, mas um investimento importante e necessário, fundamental no desenvolvimento do ser humano. “Vai contribuir para Dourados ser o grande polo de cultura do Estado. O fato de estarmos ao lado do Paraguai e também próximos à Bolívia vai permitir também a interação cultural. Os resultados serão grandes no futuro”, diz Bruno.