Associação quer mudança em contrato de transmissão de jogos

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

acems-reuniao
Presidente da ACEMS, Coca esteve reunido, reunido com os presidentes de clubes da Série A e presidente da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul. (Foto: Divulgação).

A Associação de Cronistas Esportivos de Mato Grosso do Sul solicitou a mudança no contrato de transmissão dos jogos do Campeonato Estadual de Futebol na TV. A entidade que representa os cronistas teme que a exclusividade que consta no documento enviado para a análise dos times para a transmissão de radiodifusão venha causar problema no futuro e que as emissoras de rádio sejam impedidas de transmitir os jogos do Estadual.

Este ano os clubes que disputam a primeira divisão do futebol estadual estão discutindo novamente com a FFMS e com uma emissora de TV o direto de transmissão de cerca de 20 partidas ao vivo da competição e em uma das cláusulas consta também a exclusividade da transmissão por meio de radiodifusão e com isso a ACEMS não concorda já que poderá causar embaraço.

Na semana passada o presidente da ACEMS, o jornalista Antonio Coca esteve reunido com os presidentes de clubes da Série A e com o presidente da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul e demonstrou a preocupação. Coca apelou para que a clausura seja retirada e disse que a transmissão pela TV representa um avança para o futebol estadual, mas não pode ser feito com o sacrifício das emissoras de rádio que nos últimos 30 anos foram a maior forma de divulgação dos clubes estaduais. “E se de uma hora para outra o detentor dos direitos de transmissão definir que as emissoras não poderão mais transmitir ou terão que pagar para fazer isso? Não podemos ficar nesta dependência e essa exclusividade da radiodifusão não poderia sequer ter sido discutida”, ponderou ele.

Pelos menos oito presidentes dos clubes fizeram compromisso verbal com a ACEMS de que não assinarão o documento se a exclusividade permanecer, já que entendem e reconhecem que as emissoras de rádio prestam um grande serviço para o esporte de Mato Grosso do Sul em especial ao futebol.

O presidente do Águia Negra de Rio Brilhante, Iliê Vidal, disse que sem as emissoras que cobrem o dia a dia das equipes e levam o público ao estádio quem vai perder é o torcedor e que não assina nada que for prejudicar as rádios e seus profissionais. O presidente da equipe do Chapadão, Félix também hipotecou solidariedade aos cronistas e disse que não fará nada que vá prejudicar quem sempre ajudou na divulgação do futebol.

O contrato de direito de transmissão de TV deve ser assinado nos próximos dias.