Governo inicia processo para elaborar Política Estadual de Pesca do Estado

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

pesca-politicaMato Grosso do Sul deu início ao processo de elaboração de sua Política Estadual de Pesca. O primeiro passo foi dado na quarta-feira (16), pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade) durante a Rota do Desenvolvimento, em Corumbá. O “Debate sobre a Pesca no Pantanal” foi realizado no Sesc Corumbá, reuniu representantes do setor público, empresarial e entidades ligadas ao setor e foi conduzido pelo secretário-adjunto da Semade, Ricardo Senna, juntamente com técnicos do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) e pesquisadores da Embrapa.

“Estamos em momento de mudança de paradigmas e para nós, na Semade e no Imasul, temos de valorizar e preservar nossas riquezas naturais e biodiversidade. Nosso propósito, nesta primeira discussão, não é sair daqui com posições fechadas. Esse é o início do processo de discussão sobre a pesca no Pantanal e em todo o Estado. Queremos identificar quais são as alternativas propostas, de que forma podemos conciliar os interesses o poder público, das entidades ambientais, das instituições de pesquisa, do trade turístico, dos ribeirinhos, dos pescadores profissionais e amadores e todos os demais atores envolvidos”, afirmou Ricardo Senna.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, “a formatação da Política Estadual de Pesca é a ação fundamental e o primeiro passo nós demos durante a Rota do Desenvolvimento em Corumbá. Mais adiante, quando já tivermos essa política definida é que teremos condições de rever legislação e outras medidas necessárias”.

O debate foi aberto com uma apresentação do pesquisador da Embrapa Pantanal, Agostinho Catella – um dos colaboradores do livro “Freshwater Fisheries Ecology” (“Ecologia da Pesca de Água Doce”) juntamente com a bióloga Fânia Campos, fiscal ambiental do Imasul. Além de Agostinho, também participaram da discussão a chefe de pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Pantanal, Aiescs Pellegrin, o diretor de Licenciamento do Imasul, Ricardo Eboli e o Gerente de Recursos Pesqueiros e Fauna do Instituto, Vander Melquíades.

A previsão é de que mais momentos de debate como o que ocorreu em Corumbá sejam realizados em municípios como Coxim, Dourados e Três Lagoas, contemplando outras bacias hidrográficas do Estado.