Estado registrou 229 mortes violentas no primeiro semestre de 2019

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

violentas

O Estado de Mato Grosso do Sul registrou 239 mortes por crimes violentos de janeiro a junho desse ano. Os números, divulgados anteontem (01) são do Monitor da Violência, uma ferramenta do site G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Segundo a pesquisa, a quantidade de mortes violentas caiu cerca de 0,3% se comparado ao mesmo período do ano passado.

Em janeiro foram 46 assassinatos,enquanto em fevereiro foram 33, em março foram 41, em abril 35, em maio 37 e em junho 47 mortes violentas. No ano passado, o Estado registrou 481 crimes dessa natureza. De acordo com o secretário de Segurança Pública Carlos Videira, em Mato Grosso do Sul os grupos que mais matam são os que atuam no tráfico de drogas nas fronteiras com o Paraguai e Bolívia. Segundo ele, a repressão ao crime acontece com a forte ação das forças policiais e grupos especializados e capacitação do efetivo.

De acordo com o doutor em sociologia da USP e professor da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), os grupos de pessoas que mais morrem em MS em 2018 são jovens de 15 a 29 anos, especialmente negros. Outro dado importante é que do total de mortes registradas em 2017 no Estado (7.424), quase 4 mil foram em decorrência de arma de fogo.

Índices reduzidos

Em relação a 2016 e 2017, houve uma redução no número de homicídio no Estado, cerca de 9%. Ao apresentar o balanço de 2017, o Governo do Estado destacou que o mapa que mede a violência lista MS como o terceiro estado mais seguro do País.

Brasil

Conforme a pesquisa, o Brasil registrou uma queda de 22% nas mortes violentas no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2018. Apesar da diminuição, o número de assassinatos, porém, continua alto. O dado mostra que há uma morte violenta a cada 12 minutos no Brasil – 118 por dia, em média. Em seis meses, houve 21.289 assassinatos, contra 27.371 no mesmo período do ano passado. São 6 mil a menos.

Estupro e morte

Nesse final de semana em Dourados a Polícia Civil apreendeu seis adolescentes acusados de estuprar e matar uma jovem de 22 anos. O corpo de Carolaine Espíndola foi encontrado num canavial na Reserva Indígena.

Sérgio Moro

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, atribuiu a queda no número de mortes violentas no país a esforços de governos locais e do governo federal, citando recordes de apreensão de drogas e transferência de chefes de facções criminosas para presídios federais como medidas que surtiram efeitos nos índices de criminalidade.

Moro também afirmou ao G1 que o governo está com uma política de tentar retomar o controle de vários presídios do país. “O mérito é também do governo federal porque assistimos basicamente a uma redução da criminalidade em todo o país, o que nos leva a crer que existe uma causa nacional para a redução da criminalidade. Entre elas, recordes de apreensão de drogas, especialmente cocaína pela Polícia Federal, pela Polícia Rodoviária Federal, e o incremento da política de transferência e isolamento das lideranças criminosas”.