Negócio próprio é sonho de 67% dos jovens, revela pesquisa

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Sou Mais Jovem, entidade que coordena ações de incentivo e apoio ao empreendedorismo jovem, revela que o jovem brasileiro sonha em empreender, mas não se sente estimulado a ter seu próprio negócio. De acordo com o estudo, 67% de jovens entre 14 e 25 anos desejam ter seu próprio negócio, mas 82% reclamam da falta de estímulo e informações para realizar esse desejo.

De acordo com o estudo, 67% de jovens entre 14 e 25 anos desejam ter seu próprio negócio, mas 82% reclamam da falta de estímulo e informações para realizar esse desejo.
De acordo com o estudo, 67% de jovens entre 14 e 25 anos desejam ter seu próprio negócio, mas 82% reclamam da falta de estímulo e informações para realizar esse desejo.

Mais da metade entrevistados, 73%, afirma que gostaria de ter aulas sobre empreendedorismo e gestão de negócios nas escolas. Hoje eles dizem buscar informações sobre esses temas principalmente na Internet (82%), veículos especializados (39%) e com pais e conhecidos (27%).

A dificuldade financeira para abrir a empresa, citada por 63%, é a principal preocupação dos jovens no que se refere ao empreendedorismo. Apenas 27% se declararam receosos de não estarem aptos a desenvolver essa tarefa. Já 23% afirma temer os entraves burocráticos e econômicos do Brasil. Demonstrando terem consciência das dificuldades da vida de empreendedor, 52% acreditam que terão que fazer sacrifícios para realização desse sonho, mas 71% acredita que valerá a pena e está disposto a iniciar algum tipo de projeto nos próximos anos.

Para Guto Melo, presidente do Instituto Sou Mais Jovem, esses dados revelam que o jovem brasileiro mudando seu comportamento. “Até pouco tempo atrás, o jovem desejava ter liberdade e muito dinheiro, e acabava associando esse sentimento a ser dono do seu negócio. Hoje, com o acesso mais fácil à informação a maioria já demonstra ter mais consciência da árdua tarefa de empreender. Eles estão deixando a ilusão de lado e caindo na real de que empreender envolve muito trabalho, capacitação e uma boa dose de determinação”, explica o jovem empresário.

Segundo o empresário, que montou seu primeiro negócio aos 11 anos (uma bomboniére), aos 17 anos sua agência de eventos e aos 18 o Prêmio Jovem Brasileiro, que anualmente premia jovens de sucesso de diversas áreas, como artes, esportes, social e empreendedorismo, é preciso que as escolas brasileiras assumam o desafio de suprir essa lacuna. “Se houvesse nas escolas disciplinas ligadas à empreendedorismo, muito mais jovens teriam estímulo para empreender no Brasil. E com visão, informação e capacitação, muitos deles teriam mais sucesso no mundo dos negócios, contribuindo para o desenvolvimento do país”.

Portal Administradores