Índice ABCR de atividade aumenta 1,0% em janeiro em MS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

br-163-trafego-ano-novo-foto-rachid-waqued
Ao comparar janeiro/2017 sobre janeiro/2016, o índice total aumentou 0,3%., com o fluxo de veículos leves crescendo 1,0%, enquanto o fluxo de pesados registrou retração de 2,3%.

O índice ABCR de atividade de janeiro/2017 apresentou alta de 1,0% na comparação com dezembro/2016, considerando dados livres dos efeitos sazonais. A informação foi divulgada em Mato Grosso do Sul nesta sexta-feira (10/02). O Índice ABCR mede o fluxo de veículos nas estradas concedidas à iniciativa privada e é produzido pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias em conjunto com a Tendências Consultoria Integrada.

“Com o resultado de janeiro de 2017, o indicador apresentou o terceiro registro consecutivo de expansão. Apesar dos últimos resultados positivos, o índice total acumula queda de 3,1% nos últimos 12 meses”, afirma Rafael Bacciotti, economista da Tendências Consultoria. “Em 2017, esperamos que o índice total apresente tendência favorável, embora ainda esteja suscetível a oscilações diante da debilidade da demanda doméstica”, completa.

Ainda sobre a comparação janeiro/2017 sobre dezembro/2016, o fluxo de veículos leves aumentou 1,6% em janeiro/2017. Por sua vez, o fluxo de pesados caiu 2,3%. “Apesar do resultado positivo do fluxo de veículos leves, as comparações mais longas continuam no terreno negativo, como indica a queda acumulada de 2,3% nos últimos 12 meses”, ressalta Bacciotti. “Já o fluxo de veículos pesados registrou retração e interrompeu a série de resultados positivos. Com isso, o indicador acumula variação negativa de 5,4% nos últimos 12 meses, resultado que converge com o processo de perda de dinamismo da produção industrial (IBGE)”, complementa.

Ao comparar janeiro/2017 sobre janeiro/2016, o índice total aumentou 0,3%. O fluxo de veículos leves cresceu 1,0%, enquanto o fluxo de pesados registrou retração de 2,3%. Já nos últimos doze meses, o fluxo de veículos nas rodovias pedagiadas recuou 3,1%. Considerando essa mesma base de comparação, o fluxo de veículos leves e pesados registraram queda de 2,3% e 5,4%, respectivamente.