Fluxo de veículos leves caiu 1,3% na BR-163 no mês de abril

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print
Trecho da BR-163 no município de Itaquiraí. (Foto: Divulgação).
Trecho da BR-163 no município de Itaquiraí. (Foto: Divulgação).

O índice ABCR de atividade de abril apresentou redução de 1,5%, com queda no fluxo tanto dos veículos leves como no de pesados, em termos mensais dessazonalizados. Com o resultado, o indicador praticamente reverteu a alta do mês anterior, que foi de 1,7%. O fluxo de veículos leves caiu 1,3% em abril, mesma queda apresentada pelo de pesados. O índice que mede o fluxo de veículos nas estradas concedidas à iniciativa privada é produzido pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias em conjunto com a Tendências Consultoria Integrada.

“Apesar do recuo de leves no mês, o indicador acumulou estabilidade no ano, após registrar uma predominante série de resultados negativos nessa métrica desde 2016, o que abre espaço para relativa melhora em 2017”, afirma Alessandra Ribeiro, diretora da Tendências.

De acordo com a Alessandra, o cenário de moderada reação converge com os dados da PNAD mensal, realizada pelo IBGE, cujo resultado demonstra que a renda real habitual apresentou crescimento no primeiro trimestre deste ano, beneficiada pela acomodação da inflação em menores patamares. Segundo a economista, “a melhor dinâmica dos rendimentos deve favorecer o fluxo de leves ao longo do ano, embora o indicador continue suscetível a oscilações nos próximos meses”.

No que se refere ao fluxo de pesados, Alessandra pondera que apesar dos últimos dois meses negativos, o indicador não deve delinear uma trajetória de sistemática redução, na medida em que o atual período de oscilação seria condizente com o processo de estabilização da atividade industrial.

Ao comparar abril/2017 sobre abril/2016, o índice total cresceu em 0,2%. O fluxo de veículos leves aumentou 3,0%, enquanto o fluxo de pesados teve retração de 8,3%. Nos últimos doze meses, o fluxo total acumulou variação de -3,1%. Na mesma base de comparação, o fluxo de leves variou -2,3% e o de pesados, -5,7%.

No acumulado do ano (média jan/abril de 2017 ante média jan-abril de 2016), o fluxo total acumulou variação de -1,0%. O fluxo de veículos leves registra estabilidade, enquanto o fluxo de pesados acumula retração de 4,0%.