Cresceu 36% no ano a colocação de trabalhadores no mercado

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

fogo-atacadista-2
Comércio é o setor que mais contratou nos municípios. Em dourados a agropecuária também contratou bem. (Foto: Divulgação).

A Funtrab (Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul) realizou o levantamento dos dados referentes aos atendimentos na intermediação de mão de obra realizados nas 31 agências no MS, com destaque ao período de janeiro a abril de 2016 (em comparação ao mesmo período de 2015), houve uma elevação em 36 % de trabalhadores colocados.

Os números revelam que nos primeiros meses em 2016 foram colocados 6.353. No mesmo período em 2015 foram colocados 4.658 trabalhadores no mercado de trabalho nas 31 “Casas do trabalhador”.

Em relação às vagas ofertadas, houve uma pequena retração de 0,43 %, o que em um contexto de crise é insignificante, os dados revelam que nos quatro primeiros meses de 2016 foram ofertadas 10.282 vagas e no mesmo período em 2015 foram ofertadas 10.327 vagas.

Vale ressaltar que o estoque de vagas é rotativo e diário, ou seja, as vagas podem ser preenchidas a qualquer momento, para cada vaga são encaminhadas três pessoas por vez. Destacamos que uma vaga pode abranger mais de uma função, por exemplo, as vagas para serviços gerais enquadram encanadores, eletricistas, pedreiros, dentre outras.

A intermediação de mão de obra na Funtrab consiste na disponibilização das vagas pelas empresas. As agências selecionam o trabalhador de acordo com o perfil da vaga, esse trabalhador recebe uma carta de encaminhamento para se apresentar na empresa contratante.

As empregadoras são responsáveis pela escolha do trabalhador e também por todos os encargos legais, desde o salário, benefícios e exigências, dentre outras. A Funtrab não interfere na relação entre o trabalhador e o empresário.

O perfil dessas vagas está diretamente relacionado com as características dos municípios. Em Campo Grande as vagas se concentram no comércio. Em Dourados, Ponta Porã, Aquidauana e Iguatemi, no comércio e agropecuária e em Três Lagoas e Costa Rica se destaca o setor industrial.