Bolsonaro corta recursos do aeroporto de Dourados

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

aeroporto

Mato Grosso do Sul perdeu R$ 68.310.659,00 em investimentos previstos no orçamento federal de 2019. O cancelamento foi autorizado pelo Ministério da Economia e compromete repasse de recursos para obras como reforma do aeroporto de Dourados e pavimentação da BR-419.

A verba suspensa para o Estado havia sido incluída pela bancada federal no orçamento deste ano por meio de emendas parlamentares.

A anulação desta verba faz parte de manobra do governo federal para investir em outros projetos. O Executivo deslocou R$ 1,280 bilhão em recursos programados no orçamento para suplementar ações do Ministério do Desenvolvimento Regional.

A maior fatia do bolo foi movimentada para o FAR (Fundo de Arrendamento Residencial), fonte de recursos dos programas Minha Casa Minha Vida e PAR (Programa de Arrendamento Residencial). O fundo recebeu R$ 1 bilhão.

O restante foi distribuído em atividades de infraestrutura hídrica no Nordeste – R$ 45 milhões para manutenção do projeto de integração do Rio São Francisco; R$ 60 milhões para construção do canal adutor do Sertão Alagoano; R$ 115 milhões para construção do sistema adutor ramal do Agreste Pernambucano; e R$ 60 milhões para a integração das Bacias Hidrográficas do Ceará.

Quase metade da verba cancelada para Mato Grosso do Sul estava prevista para obras no aeroporto de Dourados – R$ 30 milhões. O recurso era oriundo do Fnac (Fundo Nacional de Aviação Civil) e reservado para construção, reforma e reaparelhamento de aeroportos e aeródromos de interesse regional.

Já a obra de pavimentação de trecho da BR-419 – do entroncamento com a BR-163, em Rio Verde de Mato Grosso, ao entroncamento com a BR-262, em Aquidauana – perdeu R$ 20 milhões. O montante fazia parte do orçamento do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

A conclusão da BR-419 é uma das pautas que a bancada federal do Estado prometeu anexar às metas da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) para 2020.

Universidades – A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) vai deixar de receber R$ 6.187.406,00 do MEC (Ministério da Educação). O recurso faz parte de programa voltado para funcionamento das instituições de ensino superior do País.

A maior universidade do Estado, com 24 mil estudantes, já tem contingenciamento de R$ 29,7 milhões – anunciados em maio pelo MEC – para resolver.

O cancelamento proposto pelo governo federal tirou R$ 4.757.862,00 da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados). Do total, R$ 2.440.000,00 estavam reservados pelo MEC para construção do Instituto da Mulher e da Criança do hospital universitário.