Deputados pedem ao TCE auditoria no Regime MSPREV

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Na sexta-feira, o presidente da Casa de Leis, deputado Junior Mochi (PMDB) e os deputados Cabo Almi e João Grandão, ambos do PT, entregaram ao conselheiro e presidente do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul (TCE-MS), Waldir Neves Barbosa, um requerimento solicitando auditoria ao Regime Próprio de Previdência Social do Estado de Mato Grosso do Sul (MSPREV), no período de 2001 a 2017.

Será criado pelo TCE-MS uma comissão especial para realizar a auditoria
Será criado pelo TCE-MS uma comissão especial para realizar a auditoria

A solicitação fundamenta-se no artigo 77, IV da Constituição Estadual, no artigo 21, IV, da Lei Complementar 160, de 2 de janeiro de 2012, no artigo 102, V, da Lei Estadual 3.150, de 22 de dezembro de 2005, bem como o artigo 40, VIII, do Regimento Interno da Assembleia Legislativa.

No requerimento os parlamentares esclarecem que a auditoria deverá esclarecer se há déficit na Previdência Estadual e qual seu valor real e, havendo déficit, quais os fatores originários, eventuais responsabilidades e as possibilidades de correção.

“Nosso objetivo é dar uma satisfação para a sociedade, saber do histórico da Previdência do Estado. E a auditoria que vai permitir saber o que aconteceu”, declarou Mochi. O presidente do TCE-MS complementou “acolhemos da melhor forma e boa vontade o pedido, iremos realizar uma radiografia no MSPREV”, afirmou Barbosa. O vice-presidente do TCE-MS, o conselheiro Ronaldo Chadid sugeriu que a auditoria seja realizada nos últimos 40 anos do regime.

“Meu desejo é que a auditoria possa trazer respostas, com um relatório fundamentado”, considerou Almi. “Tomamos essa medida de solicitar a auditoria após a aprovação do Projeto de Lei 253/2017, do Poder Executivo que alterou a previdência sob a justificativa de déficit financeiro, mas não apresentou os cálculos comprovando isso”, explicou João Grandão.

O presidente do TCE-MS declarou que a medida imediata será criar uma comissão especial para realizar a auditoria. Também participaram da reunião de entrega do requerimento os conselheiros Iran Coelho das Neves e Marcio Monteiro.