MS se aproxima de acordo para uso do Porto de Concepción

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Em continuidade às tratativas entre representantes do governo paraguaio e Governo do Estado (Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico e Secretaria de Estado de Infraestrutura), além do Sistema Fiems – o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, recebeu no gabinete da Semade nesta semana a delegação paraguaia com a finalidade de articular a utilização do Porto de Concepción para a exportação da produção agroindustrial sul-mato-grossense.

Secretário Jaime Verruck recebe no gabinete da Semade, missão oficial do Paraguai. Participaram Marcelo Miglioli, titular da Seinfra, e o representante do Sistema Fiems, Rodrigo Ferrada Benavides - (Foto: Nolli Corrêa)
Secretário Jaime Verruck recebe no gabinete da Semade, missão oficial do Paraguai. Participaram Marcelo Miglioli, titular da Seinfra, e o representante do Sistema Fiems, Rodrigo Ferrada Benavides – (Foto: Nolli Corrêa)

O governo paraguaio apresentou, durante a reunião, os avanços em relação aos acordos firmados para a concretização e operacionalização do porto, distante 213 km de Pedro Juan Caballero, divisa com Mato Grosso do Sul. O projeto, que tem foco no desenvolvimento econômico na região de fronteira, já possui 10 empresas interessadas na concessão. No dia 1 de agosto será divulgado o vencedor do certame para operar o porto que utilizará a hidrovia do Rio Paraguai. O governo do país vizinho também já havia se comprometido em restaurar o trecho entre as duas cidades paraguaias, com a finalidade de viabilizar a logística de transporte de cargas através de caminhões. Entretanto, a utilização dos caminhões bitrem ainda configura como uma questão a ser definida.

“O Porto de Concepción não se viabiliza se não pudermos levar a soja via caminhões bitrem. Ele não consegue ser uma alternativa porque a ideia de Concepción é que seja uma opção aos portos de Paranaguá e Santos. É preciso haver competitividade para o escoamento da produção de Mato Grosso do Sul”, explicou Jaime Verruck.

 

ACORDO BINACIONAL

O titular da Semade ainda explica que o Governo do Estado já realizou uma reunião com a Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT do Brasil – pois o acordo é entre os dois países e não entre MS e o Paraguai. Durante o encontro de hoje, Marcelo Miglioli, secretário da Seinfra, também ressaltou a importância da sinergia entre os dois países. “Será um acordo que possibilitará o desenvolvimento para todos”, afirmou.

A próxima reunião ficou definida para acontecer logo no início de julho, em Concepción, no Paraguai. Jaime Verruck também salientou que, na ocasião, serão convidados a participar do próximo encontro, o Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística de Mato Grosso do Sul – Set Log – e a Federação de Transportadores do Paraguai para contribuir neste diálogo. “Entendemos que o projeto de saída de Concepción está andando muito bem, entretanto, há a questão logística a ser resolvida. Para efetivamente transformá-lo em um corredor logístico competitivo para Mato Grosso do Sul é preciso avançar no acordo da questão dos transportes – pauta da próxima reunião.”

De acordo com o vice-ministro dos Transportes, Agustín Encina Pérez, há o interesse do governo paraguaio em viabilizar o corredor entre Concepción e Pedro Juan Caballero. “Apresentamos algumas propostas de negociação para garantir a circulação de caminhoneiros paraguaios e brasileiros pela rodovia. Acredito que vamos encontrar um modelo adequado e que atenda os interesses comuns, viabilizando o trânsito de produtos brasileiros e paraguaios pela região.”

Para o diretor de Gestão Estratégica do Sistema Fiems, Rodrigo Ferrada Benavides, o benefício é exatamente ampliar as possibilidades de escoamento da produção do estado. “Além do desenvolvimento local, regional, nós precisamos procurar opções que posam desafogar a exportação dos produtos via os portos tradicionais – Paranaguá e Santos. A integração, inevitavelmente, vai acontecer e os países vão se adequar. As resistências são até justificáveis enquanto não se estabelecer políticas muito claras, mas posteriormente, serão sinérgicas, ou seja, boas para todos. A ideia é que a região consiga se articular e se preparar para atender também a outros mercados. Portanto, somos parceiros.”

MISSÃO OFICIAL – integraram a delegação do governo paraguaio: José Luis Rodrígues Tornaco (vice-ministro de Indústria e Comércio), Agustín Encina Pérez (vice-ministro de Transportes), Luis Esteban Páez (diretor de Integração Física e Transporte Internacional), Miguel Marin Bestard (diretor da Administração Nacional de Navegação e Portos), Carlos Geiogi-Samaran (presidente do Conselho e diretor nacional do Departamento de Transportes) acompanhados pelo cônsul do Paraguai em Campo Grande, Angel Adrian Gill Lesme.