Após polêmica, governo de MS decide revogar vistoria veicular

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Por determinação do governador Reinaldo Azambuja, o Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul (Detran-MS) vai revogar a vistoria, para fins de licenciamento, dos veículos com mais de cinco anos de fabricação. O ato de revogação da vistoria veicular será publicado no Diário Oficial do Estado na edição desta quinta-feira (21/07).

O governador tomou a decisão hoje à tarde, em Ponta Porã, onde esteve com o ministro das Cidades, Bruno Araújo, para a entrega do residencial Kamel Saad, com 1015 casas, que faz parte do programa Minha Casa, Minha Vida.

Cobrança adotada pelo atual governo vinha sendo questionada por contribuintes e deve render uma enxurrada de ações judiciais contra o Estado - (Foto: Divulgação)
Cobrança adotada pelo atual governo vinha sendo questionada por contribuintes e deve render uma enxurrada de ações judiciais contra o Estado – (Foto: Divulgação)

“Estávamos esperando que o Conselho Nacional de Trânsito se manifestasse sobre a cobrança da taxa, mas em conversa com o ministro das Cidades, Bruno Araújo, ele informou que o órgão não tem prazo para decidir sobre o assunto. Então, resolvi determinar a revogação imediata da vistoria”, explicou o governador. O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) é vinculado ao Ministério das Cidades.

A vistoria nos carros com mais de cinco anos de fabricação começou a ser cobrada, por determinação do Detran, em dezembro de 2014, ainda no governo anterior. Em junho do ano passado, o Detran recebeu ofício do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) dizendo que a cobrança ficaria a critério do órgão estadual, até que uma solução definitiva fosse dada pelo Contran.

Como o ministro informou ao governador que não há prazo para que a matéria seja regulamentada, Reinaldo Azambuja determinou que já a partir de amanhã, com a publicação do ato do Detran no Diário Oficial, a taxa não seja mais cobrada no Estado.