Cluster Florestal de MS é destaque na mídia estadual e internacional

Os investimentos bilionários, as condições favoráveis, o crescimento e o desempenho do setor de florestas e celulose em Mato Grosso do Sul, consolidando o Cluster Florestal no Estado, foi destacado em reportagens do jornal Correio do Estado publicadas nesta segunda-feira (28) e em matéria na revista inglesa The Economist, publicada em 26 de março.

Na edição desta segunda no jornal Correio do Estado, a matéria “Plantio de eucaliptos deve atingir 1 milhão de hectares” aponta que “próximo de alcançar 1 milhão de hectares com eucalipto plantado, Mato Grosso do Sul deve passar de segundo para primeiro lugar no ranking entre os estados do País com maior área cultivada em 2018. O projeto otimista é da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade), que aposta na atração de indústrias de toda a cadeia produtiva, desde geração de energia elétrica até a produção de celulose”.

O jornal sul-mato-grossense também destaca a consolidação do Cluster Florestal no Estado. “O cluster [palavra em inglês que faz referência à concentração de empresas de um mesmo segmento] florestal em Mato Grosso do Sul é uma realidade. Não tem retorno e só devemos continuar expandindo”, analisa o titular da Semade, Jaime Verruck.

O último levantamento da Semade, fechado neste mês, mostra que o Estado tem 964 mil hectares de eucaliptoplantados. O montante representa crescimento de 8,75% em comparação com o total cultivado em 2014, que era de 886,3 mil hectares, de acordo com a mais recente pesquisa de Extração Vegetal e da Silvicultura (Pevs), realizada pelo IBGE. “O resultado atual ainda nos mantêm na segunda posição, mas trabalhamos com a expectativa de superar Minas em 2018, com base nos investimentos que devem ser instalados nos próximos dois anos e na expansão dos já existentes”, explica Verruck.

The Economist 

A matéria “Dinheiro que cresce em árvores”, publicada na edição mais recente da revista inglesa The Economist, enaltece o desempenho do setor de celulose no Brasil, apesar da crise que atinge o país. A consolidação do cluster da celulose em Mato Grosso do Sul, tendo o município de Três Lagoas como protagonista, também é ressaltada pela reportagem da The Economist, com destaque aos novos investimentos da Fibria e Eldorado na região, às novas tecnologias aplicadas na produção (com drones e viveiros automatizados), à disponibilidade de matéria prima (quantidade e qualidade) e ao aumento na produtividade do eucalipto.

Esses fatores, segundo a publicação inglesa, ajudaram a posicionar o Brasil como referência internacional no setor e a transformar Três Lagoas em Capital Mundial da Celulose. O fomento ao Cluster Florestal em Mato Grosso do Sul está entre as ações da Semade para a promoção da diversificação econômica do Estado.