Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 400968 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0000 401240 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3053 8699832 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3144 9143776 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 400968 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0000 401240 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3053 8699832 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3144 9143776 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 400968 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0000 401240 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3053 8699832 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3144 9143776 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 400968 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0000 401240 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3053 8699832 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3144 9143776 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

Venda de carros novos despenca no Estado

Venda de carros novos despenca no Estado

Da redação

Nos seis primeiros meses de 2016, Mato Grosso do Sul emplacou 23.987 veículos. O montante é 22,75% menor que no mesmo período do ano passado, quando o número somou 31.053. Desde o ano passado o setor enfrenta dificuldades, com quedas mensais. Em junho foram vendidos 4.047 veículos, 23,12% a menos que os 5.264 emplacados no mesmo mês do ano passado.

Porém, leve recuperação começa a ser sentida, desde maio. Em junho comparado a maio, o número de emplacamentos cresceu 2,46%, chegando a 4.047. Entre maio e abril, também houve uma leve alta de 4,76%.

Em junho foram vendidos 4.047 veículos, 23,12% a menos que os 5.264 emplacados no mesmo mês do ano passado (Foto: Divulgação)

Em junho foram vendidos 4.047 veículos, 23,12% a menos que os 5.264 emplacados no mesmo mês do ano passado (Foto: Divulgação)

Os números da Fenabrave (Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores), divulgados hoje. Se analisarmos a venda só de comercias leves, a alta chega a 27,81%, de um mês para o outro e de 4,67% na comparação de junho de 2016 com junho de 2015. O segmento comercializou 717 veículos no mês passado.

Para amenizar a consequência das vendas, donos de concessionárias têm apostado em fidelizar seus clientes, principalmente no pós venda, ou seja, comercializando peças e acessórios para os veículos.

BRASIL

Foram emplacados 983,5 mil carros, caminhões e ônibus, informa Fenabrave. É o pior resultado para a indústria nacional desde 2006. As vendas de carros, caminhões e ônibus novos tiveram o pior 1º semestre em 10 anos, segundo dados da federação dos concessionários (Fenabrave), divulgados nesta sexta-feira (1º).

Foram vendidos 983.599 veículos entre janeiro e junho últimos, contra 1.318.984 no mesmo período de 2015, uma queda de 25%.

 

O resultado foi o pior desde 2006, quando foram emplacadas 861.000 unidades no 1º semestre. No mesmo período de 2007, o volume já passou de 1 milhão (1.082.257 unidades).

“Já estamos notando uma melhora nos índices de confiança, tanto por parte de consumidores como de investidores, mas não imaginamos grandes mudanças nos dados do setor até que o cenário político se defina”, diz Alarico Assumpção Jr, presidente da Fenabrave.

A entidade, no entanto, não alterou as projeções para 2016 de 15% de queda nas vendas de veículos em geral. “Essas projeções já consideram uma melhora no quadro geral da economia e do setor, pois, se os dados se mantivessem como no início do ano, os resultados seriam piores”, disse.