Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402240 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403744 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4769 36534960 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4909 37488936 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402240 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403744 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4769 36534960 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4909 37488936 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402240 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403744 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4769 36534960 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4909 37488936 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402240 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403744 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4769 36534960 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4909 37488936 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

TRÂNSITO MATA 53% MENOS EM 2019

TRÂNSITO MATA 53% MENOS EM 2019

carros-1

Mato Grosso do Sul registrou queda no número de mortes no trânsito no primeiro quadrimestre de 2019, em comparação ao mesmo período do ano passado. De janeiro a abril de 2018, 66 pessoas perderam a vida no trânsito do Estado. Neste ano, a quantidade caiu para 31 – redução de 53%. Os dados são do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS).

Os acidentes envolvendo veículos e pedestres também diminuíram no mesmo intervalo de tempo pesquisado. Nos quatro primeiros meses de 2019 foram contabilizados 5.472 colisões, atropelamentos e quedas. Na mesma época do ano passado o registro é de 6.162 ocorrências – diminuição de 11%.

Das cinco maiores cidades do Estado, quatro registraram menos acidentes com mortes este ano, na comparação com o ano passado. No primeiro quadrimestre de 2019, nove pessoas perderam a vida no trânsito de Campo Grande. Neste período do ano passado foram 10. O número de vítimas fatais também caiu em Dourados, de nove para quatro; em Três Lagoas, de cinco para duas; e em Ponta Porã, de três para duas.

O chefe de fiscalização do Detran-MS, André Canuto, credita os bons números a uma série de fatores. “Entre eles o comportamento do condutor, que passou a ter mais atenção às regras, e à devida presença do Estado nas ruas, com a ordenação do trânsito, campanhas educativas e ações de fiscalização”, explicou.

Para André, quando o Estado está presente nas ruas, por meio de agentes de trânsito ou de policiais militares, motoristas tendem a ser mais atentos às regras de trânsito. Segundo ele, a maioria dos condutores sul-mato-grossenses é habilitada e conhece a legislação. “Educação e fiscalização têm surtido efeito”, afirmou o gestor.

Em pleno Maio Amarelo, mês de conscientização e promoção do trânsito mais seguro, as instituições do Governo de Mato Grosso do Sul, entre elas o Detran e a Polícia Militar, têm intensificado orientações nas ruas do Estado. O objetivo é conscientizar motoristas e pedestres para o correto convívio no trânsito do Estado.