Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4795 36537032 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4957 37491008 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4795 36537032 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4957 37491008 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4795 36537032 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4957 37491008 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4795 36537032 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4957 37491008 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

Preço do etanol cai nas usinas, mas não em postos e ANP apura o motivo

Preço do etanol cai nas usinas, mas não em postos e ANP apura o motivo

 

SÃO PAULO, SP - 02.02.2015: PREÇOS/COMBUSTÍVEIS - Foto de posto gasolina na marginal Pinheiros (zona oeste de SP) - Postos de gasolina de São Paulo já elevaram os preços dos combustíveis no primeiro dia em que passou a vigorar o aumento da tributação sobre combustíveis. O preço do litro da gasolina ultrapassou R$ 3 em alguns estabelecimentos. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

Postos de combustível elevam preços, mesmo com queda nas usinas. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress).

Os preços do etanol continuam sua queda livre nas usinas, conforme dados do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. Na última semana, o hidratado fechou em baixa de 15,51% e o anidro com queda de 21,88% no comparativo entre as semanas de 28/03 à 1º/04 e 04/04 à 08/04.

Os preços do hidratado fecharam a última semana cotados nas usinas a R$ 1,4329 o litro, contra R$ 1,6552 o litro da semana anterior. Já o anidro, misturado à gasolina, fechou a última sexta em R$ 1,6465 o litro contra R$ 2,0068 da semana anterior.

Já o indicador Paulínia, medido pela Esalq/BVMF acumula perdas ainda maiores. Desde a última alta, ocorrida em 15 de março, o hidratado já desvalorizou 43,53%, passando de R$ 1.892,50 o m³ em 15/03 para R$ 1.318,50 o m³ em 8 de abril.

Enquanto nas usinas os preços dos biocombustíveis não param de cair, nos postos de combustíveis, conforme apurou a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), os preços fecharam em alta em 15 estados, no comparativo entre as duas últimas semanas. Houve queda em outros 10 estados e no Distrito Federal. A ANP não apresentou os preços no estado do Amapá.

Em São Paulo, principal Estado produtor e consumidor, segundo a Agência Estado, a cotação caiu 1,92% na semana, de 4 a 9 de abril, para R$ 2,703 o litro. No período de um mês, acumula desvalorização de 0,07%. Na semana, a maior alta ocorreu em Rondônia (4,67%) e o maior recuo, em São Paulo.

No Brasil, o preço mínimo registrado para o etanol foi de R$ 2,199 o litro, em São Paulo, e o máximo foi de R$ 4,199 o litro, no Rio Grande do Sul. Na média, o menor preço foi de R$ 2,651 o litro, em Mato Grosso. O maior foi registrado no Rio Grande do Sul, a R$ 3,740 por litro.

Para Arnaldo Luiz Corrêa, da Archer Consulting, “em três semanas o etanol hidratado passou de R$ 1.9500 para R$ 1.6000, enquanto na bomba o preço teve pouca alteração. Quem está ganhando muito dinheiro com o etanol são as distribuidoras e os revendedores. A diferença bruta entre o preço na bomba e o índice ESALQ alcançou seu pico em 2 de abril, segundo apuração de um trader de uma multinacional, de R$ 1,1000 por litro. A margem bruta da distribuidora é recorde com mais de R$ 0,7000 por litro. O posto fica com R$ 0,4000 por litro. E o produtor fica chupando o dedo”. (Rogério Mian, da Agência UDOP).