Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 401032 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0000 401304 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3371 12302712 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3492 12935352 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 401032 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0000 401304 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3371 12302712 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3492 12935352 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 401032 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0000 401304 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3371 12302712 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3492 12935352 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 401032 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0000 401304 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3371 12302712 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3492 12935352 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

Pecuária de MS deve encolher 6%; prejuízo pode superar meio bi

Pecuária de MS deve encolher 6%; prejuízo pode superar meio bi

Levantamento do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) aponta que a produtividade da pecuária deverá encolher 6,36% neste ano em Mato Grosso do Sul.

Conforme o Mapa, a produção bruta do setor deve ser de R$ R$ 8,018 bilhões neste ano, contra R$ 8,563 bilhões no ano passado – a queda, em números absolutos, deverá ser de R$ 545,25 milhões.

Em 2015, o rebanho bovino fechou em 20,65 milhões de cabeças, conforme o Iagro

Em 2015, o rebanho bovino fechou em 20,65 milhões de cabeças, conforme o Iagro

A crise na pecuária sul-mato-grossense, segundo o Mapa, deve-se à retração do rebanho, à perda de mercado e a expansão de áreas de outras atividades, como soja e floresta.

Em 2015, o rebanho bovino fechou em 20,65 milhões de cabeças, conforme projeção da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal.

Na comparação com o ano de 2010, período em que o rebanho de MS chegou a 22,135 milhões de cabeças, a redução no plantel do estado equivale a 6,7%.

Em relação ao rebanho bovino de 2003, a queda do volume de gado nas fazendas de MS foi mais drástica – naquele ano o rebanho era de 24,9 milhões de cabeças, conforme o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

 

Com informações do Notícias Agrícolas