Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4817 35993904 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4948 36930320 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4817 35993904 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4948 36930320 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4817 35993904 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4948 36930320 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4817 35993904 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4948 36930320 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

NÚMEROS CONFIRMAM QUE DOURADOS CRESCE

NÚMEROS CONFIRMAM QUE DOURADOS CRESCE

 

assai-obras-031112

Assai é uma das empresas que chegaram recentemente a Dourados. Unidade entra em operação em novembro. (Foto: A. Frota/Assecom).

Dados da Jucems (Junta Comercial de Mato Grosso do Sul) comprovam o que a Revista Exame publicou na edição do dia 26 de outubro, quando coloca a cidade de Dourados como uma das melhores do país para se fazer negócios.

De acordo com estáticas da Jucems, Dourados ganhou 192 empresas em 35 dias. No dia 13 de setembro o município abrigava 17.820 empresas micro, pequena, de médio e grande porte. No dia 18 de outubro, um mês depois a quantidade subiu para 18.012. São quase 200 novos empreendimentos formais, gerando empregos e riqueza na cidade.

Neste período de um mês o Estado ganhou 1.569 novas empresas, chegando a 206.987 empreendimentos formais. Três Lagoas abriu neste mesmo período 110 empresas; Corumbá, 28; Ponta Porã, 42; Naviraí, 32; Nova Andradina, 15; e Maracaju, 16. Campo Grande, a capital do Estado abril 751.

Neste período também cresceu a participação percentual de Dourados no número de empresas do Estado. Em setembro Dourados abrigava 8,67% das empresas instaladas em Mato Grosso do Sul. Agora em outubro essa participação cresceu para 8,70%.

 

MAIS FORTE QUE A CRISE

Na edição 1124, do dia 26 de outubro, a Revista Exame divulgou um ranking elaborado pela consultoria Urban Systems, elaborado com base em 28 indicadores, que apontou Dourados na posição 63 no Brasil entre as 100 melhores cidades para se fazer negócios. O título da reportagem é “Mais Fortes que a Crise”.

Com o índice 8,17 o município aparece no ranking como o melhor do Centro Oeste para se fazer negócios. Aparece inclusive à frente de cinco capitais de Estado, que são João Pessoa, Rio Branco, Natal, Porto Velho e Manaus.

O novo ranking exclusivo das melhores cidades do Brasil para fazer negócio mostra que a capacidade de atrair empresas faz a diferença no momento de recessão. E Dourados continua atraindo empresas e diversificando a sua economia. As melhores cidades para investir, segundo o estudo da consultoria Urban Systems, mostra como as cidades conseguiram melhorar o ambiente de negócios em meio à maior recessão do país em décadas.

A atração e abertura de novas empresas estão ligadas ao potencial natural de Dourados, que é o maior polo comercial e de prestação de serviços do interior do Estado, e à organização e planejamento da cidade na gestão do prefeito Murilo, que assumiu o município em fevereiro de 2011.

A organização da administração da cidade resultou num atendimento de qualidade ao investidor, que viu na desburocratização a facilidade para a implantação dos negócios. O clima de otimismo criado e os altos investimentos em infraestrutura tornam Dourados cada vez mais uma cidade organizada e bela, considerada uma das melhores do país para ser viver e investir.