Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 400904 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0000 401176 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3298 8741912 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3395 9257792 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 400904 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0000 401176 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3298 8741912 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3395 9257792 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 400904 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0000 401176 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3298 8741912 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3395 9257792 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 400904 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0000 401176 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3298 8741912 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3395 9257792 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

MS FECHOU 217 EMPRESAS EM JANEIRO

MS FECHOU 217 EMPRESAS EM JANEIRO
Foi o segundo pior desempenho para o período em 18 anos (Foto: Divulgação)

Foi o segundo pior desempenho para o período em 18 anos (Foto: Divulgação)

O setor empresarial de Mato Grosso do Sul sinaliza recuperação, mas ainda apresenta números relativamente modestos. Levantamento divulgado nesta quarta-feira (21) pela Jucems (Junta Comercial de MS), órgão vinculado à Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) mostra que foram fechados 217 estabelecimentos em janeiro deste ano. A quantidade é 4,4% inferior a de igual mês, mas é a segunda maior da série histórica da Jucems, iniciada em 2000.

Em janeiro do ano passado, 227 empresas fecharam as portas, número recorde para o mês. Neste ano, em igual período, o quadro foi levemente amenizado, mas o volume continua, historicamente, acentuado.

Apenas neste ano e em 2017, foram contabilizados, em janeiro, número superior a 200 fechamentos de empresas. Para o mês, o menor resultado foi de 2000, com 45 extinções de estabelecimentos.

O início de recuperação também é indicativo pela quantidade de empresas abertas. Foram 445 em janeiro, o maior número para o período em três anos. Na comparação mesmo mês de 2017, com 427 negócios, o incremento é de 4,21%.

A maior parte das empresas abertas (61% ou 271) é do setor de serviços. Na sequência, estão comércio (153 estabelecimentos ou 34%) e indústria (21 ou 5%). Na avaliação do presidente da Jucems, Augusto César de Castro, os números de janeiro sinalizam aquecimento da economia e decorrente maior otimismo dos empresários.