MS deve atingir safra recorde, acima de 20 mi de toneladas

MS deve atingir safra recorde, acima de 20 mi de toneladas

colheita

Mato Grosso do Sul terá safra recorde de grãos neste ano, que passará dos 20 milhões de toneladas. Isso equivale a quase 2 milhões de toneladas a mais que serão retiradas dos campos mesmo com atraso no plantio da soja e um certo temor do plantio da safrinha. A projeção é do sexto levantamento divulgado nesta terça-feira (10) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), ligada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O montante estimado é recorde na série histórica.

A projeção está relacionada às boas condições climáticas nas principais regiões produtoras de grão, impulsionada pelas lavouras de soja e milho com perspectiva de bons níveis de produtividade.

Para as lavouras de soja está reservada uma área 8% superior no Estado com 2,9 milhão de hectares. A estimativa é de alta de 18,7% na produção em MS, superando os R$ 10 milhões de hectares.

A colheita da soja chega a 50% da área no Estado, mas ainda está atrasada em relação ao ano passado.

Brasil – No Brasil a atual safra de grãos (2019/2020) deve chegar a 251,9 milhões de toneladas, um ganho de 9,9 milhões de toneladas em comparação à safra passada (2018/2019), correspondente a um crescimento de 4,1%.

A área total de grãos, favorecida pela distribuição regular de chuvas na maioria dos estados, deve crescer 2,4%, alcançando cerca de 64,8 milhões de hectares. As culturas de primeira safra responderão por 46,5 milhões de hectares (71,7%), enquanto as de segunda, terceira e de inverno, por 18 milhões de hectares (28,3%).

No País a soja deve produzir 2,6% mais, com expectativa de boa produtividade. A produção estimada é de 124,2 milhões de toneladas e um acréscimo de 8%, o que confirma mais um recorde na série histórica, graças à boa distribuição de chuvas, sobretudo nos estados do Centro-Oeste, onde estão adiantadas as etapas de colheita.

A produção total do milho de primeira e segunda safras é de mais de 100 milhões de toneladas, com um crescimento de 0,4% acima da safra passada, tendo como estímulo as cotações do cereal no mercado internacional.

A estimativa de área semeada do milho primeira safra é de 4,23 milhões de hectares, 3,2% maior que o da safra 2018/19. Na segunda safra, cuja semeadura começou em janeiro e segue ocupando o espaço deixado pela colheita de soja, o crescimento de área deve alcançar 2,1%, tendo em vista a rentabilidade produtiva e as condições climáticas favoráveis. A terceira safra está estimada em 1,2 milhão de toneladas.