Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 401096 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 401368 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3468 12305296 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3595 12937936 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 401096 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 401368 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3468 12305296 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3595 12937936 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 401096 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 401368 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3468 12305296 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3595 12937936 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 401096 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 401368 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3468 12305296 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3595 12937936 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

Expectativas superadas: Mais de 95% dos turistas estrangeiros que vieram ao país pretendem voltar

Expectativas superadas: Mais de 95% dos turistas estrangeiros que vieram ao país pretendem voltar

 

rio-de-janeiro-Búzios-Foto-Banco de imagens mtur

As cidades de Angra dos Reis e Paraty, no Rio de Janeiro, estão entre as 10 mais procuradas em 2015. (Foto: Banco de Imagens MTur).

Em 2015, o Brasil foi o destino escolhido por 6,3 milhões de turistas estrangeiros. Destes, 95,5% afirmaram que tem intenção de retornar ao país. A constatação faz parte da Demanda Turística Internacional, do Ministério do Turismo, divulgada nesta quarta-feira (20). Ainda segundo a pesquisa, 86,5% dos entrevistados avaliaram que a viagem superou ou atendeu plenamente as expectativas. Entre os fatores que contribuíram para o alto índice de aprovação estão: hospitalidade (97,7%), gastronomia (95,7%), hospedagem (95,6%) e restaurantes (94,7%). O detalhamento completo do estudo pode ser acessado na Agência de Notícias do Turismo.

O estudo mostra ainda que 51,3% dos visitantes escolheram o país para atividades de lazer, 20,2% para negócios e eventos e 28,5% para visita a amigos, familiares, atividades educativas, de saúde ou religiosas. No quesito lazer, as praias brasileiras foram o destino preferido de 69,4% dos turistas, um crescimento de 41% em relação a 2014, seguido de natureza, ecoturismo ou aventura (15,7%) e cultura (12,1%). Os atrativos naturais também despertaram mais interesse dos estrangeiros em 2015, um crescimento de 23% em relação a 2014. Os números reforçam a posição do país no Fórum Econômico Mundial como o número um em recursos naturais.

A Argentina foi o maior emissor de turistas para o país (2.079.823), seguido dos Estados Unidos (575.796), Chile (306.331), Paraguai (301.831) e Uruguai (267.321). Os vizinhos sul-americanos representaram 54,2% do total de visitantes estrangeiros. O número pode ser explicado em razão da facilidade de acesso, por terra e também por via aérea.

“Fortalecer o Brasil como destino turístico competitivo passa necessariamente pelo fortalecimento do turismo regional e a forte presença de turistas dos países vizinhos ao Brasil mostram que estamos fazendo bem esse trabalho”, explica o ministro interino do Turismo, Alberto Alves.

As cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo permanecem como os destinos mais visitados por turistas estrangeiros no Brasil. Na categoria lazer, as 10 cidades mais procuradas tiveram, em 2015, a inclusão de três novos destinos: Bombinhas (SC), Angra dos Reis (RJ) e Paraty (RJ).

 

PERFIL

A Internet foi a principal fonte de consulta dos visitantes internacionais que estiveram no Brasil em 2015, sendo utilizada por 44% dos turistas. Em 2011, ela representava 32,1% das fontes de consultas. Apesar da importância da internet, os turistas estrangeiros também recorrem a outras fontes de informação: amigos e parentes (29,5%), agência de viagens (6,1%) e guias turísticos impressos (2,9%).

Ainda segundo a pesquisa, 61,2% dos visitantes internacionais são homens e 70,4% tem nível superior ou pós-graduado. Na hora de viajar para o Brasil, 36,6% vêm sozinhos, 29,1% viajam em família e 18,2% são casais sem filho.

Foram ouvidos 35.133 turistas estrangeiros em 16 aeroportos internacionais, que representam mais de 99% do fluxo internacional aéreo; e 10 fronteiras terrestres, que representam cerca de 90% do fluxo internacional terrestre.