Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4959 36471184 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5110 37424624 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4959 36471184 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5110 37424624 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4959 36471184 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5110 37424624 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4959 36471184 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5110 37424624 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

Leia o artigo de despedida de Maurício Negrão da CCR MSVia

Leia o artigo de despedida de Maurício Negrão da CCR MSVia

 

Maurício Soares Negrão

Maurício Soares Negrão deixa a CCR MSVia para assumir cargo na diretoria da Grupo CCR em São Paulo. (Foto: G1).

MISSÃO CUMPRIDA

 

*Maurício Soares Negrão

 

É com o coração apertado, mas com orgulho do dever cumprido, que eu me despeço de Mato Grosso do Sul e da Presidência da CCR MSVia, empresa que ajudei a criar e à frente da qual estive até agora.

Serei sucedido pelo engenheiro Roberto de Barros Calixto, profissional da mais alta capacidade técnica, que responderá com competência e eficácia à condução dos desafios que o Contrato de Concessão apresenta.

A CCR MSVia tem uma das mais competentes equipes do Grupo CCR, com apenas 5% do contingente trazido de outros Estados. A maioria de nosso quadro de colaboradores é composta por uma jovem e eficaz equipe formada e treinada com quadros sul-mato-grossenses.

Vou para São Paulo assumir novos desafios no Grupo CCR. Mas não posso sair sem agradecer profundamente a compreensão e o apoio dos usuários sul-mato-grossenses.

Agradeço às autoridades estaduais e municipais, que entenderam a grandiosidade do projeto.

Meus agradecimentos também para os profissionais da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), pela fiscalização da concessão.

Da mesma forma, agradeço à Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Mato Grosso do Sul, parceira fundamental na redução da violência do tráfego.

Foram quase três anos de muita luta, muito trabalho e grandes resultados.

Conforme prometi, em março de 2014, estamos transformando a BR-163/MS em Rodovia da Vida. O número de mortes em acidentes reduziu em 25%, comparando-se dados de 2013 e de 2016.

Uma transformação dessa magnitude não acontece por acaso. Injetamos na rodovia, até agora, quase R$ 1,3 bilhão em obras, serviços e equipamentos.

Geramos mais de R$ 38 milhões em impostos às prefeituras, que passaram a contar com nova receita para aplicar nas cidades.

Modernizamos a sinalização de toda a rodovia e promovemos a recuperação de mais de 700 quilômetros de pavimento, entre tantas melhorias.

Já entregamos ao tráfego cerca de 97 quilômetros de duplicações, extensão que não inclui o trecho de Dourados, já duplicado quando chegamos.

Apesar das chuvas atípicas que atingiram MS, prosseguimos com as obras. Temos 32 quilômetros em fase de duplicação e, em maio, iniciamos a construção de mais 55 quilômetros de novas pistas.

Implantamos e operamos um dos mais modernos sistemas de apoio aos usuários, o SAU, que realizou mais de 232 mil atendimentos. Hoje, ninguém fica à mercê da própria sorte nas pistas da BR-163/MS. São cerca de 500 colaboradores atuando em revezamento, 24 horas por dia, com uma frota de mais de 80 veículos e 17 bases operacionais.

Do ponto de vista ambiental, conquistamos a certificação da Norma ISO 14001:2010 e a Declaração de Conformidade da Norma ISO 9004:2010, emitidas pelo Bureau Veritas Certification.

Além disso, começamos o processo para plantio de 241 mil mudas de espécies nativas do Cerrado e da Mata Atlântica em Parques Estaduais de Preservação e estamos conduzindo as obras conforme rígidas especificações de Sustentabilidade.

No aspecto social, trouxemos para Mato Grosso do Sul o Programa Estrada para a Saúde, que já ofereceu gratuitamente exames clínicos a quase 1.900 caminhoneiros, e iniciativas culturais como o Teatro a Bordo e o PhotoTruck.

Enfim, introduzimos em Mato Grosso do Sul o jeito CCR de contribuir com o progresso, o desenvolvimento e a melhoria da qualidade de vida.

É assim que me despeço. Com a certeza de ter feito o meu melhor para que Mato Grosso do Sul continue no ritmo de desenvolvimento que merece.

 

Muito obrigado a todos!

 

(*) Maurício Soares Negrão é Engenheiro Civil e ex-Diretor-Presidente da CCR MSVia