Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402304 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403808 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.7379 35982200 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.7520 36916128 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402304 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403808 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.7379 35982200 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.7520 36916128 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402304 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403808 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.7379 35982200 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.7520 36916128 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402304 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403808 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.7379 35982200 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.7520 36916128 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

Governo do Estado autoriza a licitação da Ceasa em Dourados

Governo do Estado autoriza a licitação da Ceasa em Dourados

 

délia-termo_0304 04 (1)

Diversas pessoas acompanharam a assinatura dos termos de cooperação em que o governador anunciou a licitação da Ceasa. (Foto: A. Frota)

Finalmente Dourados vai ganhar o seu centro de distribuição de produtos hortifruti para atender os quarenta municípios da região. A garantia foi dada pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) à prefeita Delia Razuk (PR) na manhã desta segunda-feira, dia 3, durante a solenidade de assinatura de termos de cooperação técnica para beneficiar as aldeias indígenas e os agricultores familiares. “Temos pressa e assim que a licitação for concluída vamos iniciar as obras”, disse Azambuja.

Ao iniciar seu discurso a prefeita lembrou ao governador a necessidade da construção urgente da Ceasa (central de abastecimento), uma proposta de campanha e um sonho dos produtores de alimentos não apenas de Dourados como de toda a região.

Na mesma solenidade o governador assinou termo de parceria com o Município de Dourados para a pesquisa técnica e extensão rural, através da Agraer. Com assinatura deste temor será possível para aumentar a produtividade e melhorar a qualidade da produção de hortifrutigranjeiros por agricultores familiares da região.

Através deste termo de cooperação as pesquisas e treinamentos serão feitos em campos experimentais instalados no Parque de Exposições do Sindicato Rural. A Agraer vai fazer ações nas áreas de pesquisa, assistência técnica e extensão rural entre os agricultores familiares do município de Dourados visando à produção de frutas, hortaliças e leite.

No outro termo de parceria o Governo do Estado libera a importância de R$ 40.050,00 para a reforma de dois tratores para atender os agricultores das Aldeias Bororo, Jaguapiru e Panambizinho, totalizando quase duzentas famílias. Nesta ação a Prefeitura vai arcar com uma contrapartida de R$ 4 mil. O governador também garantiu dois mil litros de óleo diesel e a doação de sementes de milho e feijão para os indígenas.

A agência vai oferecer atendimento visando a transferência de conhecimentos para aumentar a produtividade da fruticultura e ao mesmo tempo melhorar as condições de vida no meio rural.

O Sindicato Rural de Dourados vai disponibilizar área, infraestrutura e equipamentos necessários para desenvolver a pesquisa voltada aos agricultores familiares. Também vai garantir mão de obra necessária para tratos e colheita dos campos experimentais e unidades demonstrativas, além de fornecer técnicos para colaborar com as pesquisas.

Caberá à Agraer implantar os campos experimentais em conjunto com o sindicato e fazer a capacitação de técnicos e agricultores através de palestras, cursos, dias de campo e reuniões. Também vai disponibilizar mobiliário, equipamentos de informática, veículos e combustível para os trabalhos.

O governador disse que atualmente Mato Grosso do Sul traz de São Paulo e do Paraná 80% dos hortifrutigranjeiros consumidos pela população e que iniciativas como essa em Dourados buscam mudar a realidade. “Precisamos produzir aqui o que consumimos para gerar emprego e renda para nossos produtores”.