Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5173 36042840 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5305 36985584 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5173 36042840 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5305 36985584 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5173 36042840 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5305 36985584 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5173 36042840 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5305 36985584 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

Crise econômica afeta o turismo e gasto de brasileiros no exterior é o menor para abril desde 2009

Crise econômica afeta o turismo e gasto de brasileiros no exterior é o menor para abril desde 2009

 

torre eifel

A Europa é um destino muito procurado pelos brasileiros. Na foto a Torre Eifel, em París. (Foto: Divulgação).

Os gastos de brasileiros no exterior somaram US$ 1,07 bilhão em abril, informou o Banco Central nesta terça-feira (24). Esse é o menor valor para o mês desde 2009, quando as despesas somaram US$ 770 milhões. Em abril do ano passado, esses gastos somaram US$ 1,64 bilhão.

De janeiro a abril deste ano, os gastos dos brasileiros lá fora somaram US$ 4,048 bilhões. Houve queda na comparação com o mesmo período do ano passado, quando as despesas no exterior somaram US$ 6,876 bilhões.

A queda de despesas de brasileiros no exterior acontece em um momento de dólar relativamente alto, frente aos últimos anos, e também de recessão da economia brasileira.

A crise econômica aumenta o desemprego e diminui a renda das famílias. Também contribuem para redução dos gastos no exterior a alta da inflação e o elevado nível de endividamento das famílias.

Já a moeda norte-americana mais alta encarece passagens e hotéis, além dos produtos comprados lá fora.

A valorização do dólar também aumenta despesas com cartões de crédito e débito no exterior – que sofrem ainda a incidência do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) de 6,38%.

Em abril, o dólar recuou 4,34% e, em 2016, acumula queda de 12,86%. Ainda assim, no patamar em que encerrou em abril, a US$ 3,44, a moeda americana está em patamar relativamente alto frente aos últimos anos.

 

HISTÓRICO DE GASTOS

Entre 2010 e 2014, os gastos de brasileiros no exterior vinham subindo continuamente. Entretanto, no ano passado, com a alta de quase 50% do dólar, essas despesas caíram 32%.

Até 1994, quando foi criado o Plano Real para conter a hiperinflação no país, os gastos de brasileiros no exterior não tinham atingido a barreira dos US$ 2 bilhões (pela série histórica antiga). Mas, naquele ano, quando o real foi equiparado ao dólar, as despesas somaram US$ 2,23 bilhões. Entre 1996 e 1998, elas oscilaram entre US$ 4 bilhões e US$ 5,7 bilhões.

Com a maxidesvalorização cambial de 1999, o dólar ultrapassou os R$ 3 em um primeiro momento e as despesas lá fora também ficaram mais caras. O gasto voltou a recuar e, naquele ano, se aproximaram dos US$ 3 bilhões.

 

NO BRASIL

A alta do dólar, por outro lado, deixou mais barato para os estrangeiros viajar ao Brasil, e isso também se reflete nos números do setor externo divulgados pelo Banco Central.

De janeiro a abril, as despesas de estrangeiros no Brasil totalizaram US$ 2,320 bilhões, o que representa um aumento frente ao mesmo período de 2015 (US$ 2,081 bilhões).

Em abril deste ano, os moradores de outros países gastaram US$ 475 milhões no Brasil. Houve pequena queda frente ao mesmo período do ano passado (US$ 444 milhões). (Do G1).