Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 401032 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0000 401304 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3090 8697984 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3189 9141928 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 401032 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0000 401304 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3090 8697984 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3189 9141928 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 401032 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0000 401304 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3090 8697984 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3189 9141928 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0000 401032 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0000 401304 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.3090 8697984 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.3189 9141928 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

“Funsaud: avanço ou retrocesso?” é tema de audiência pública na Câmara

“Funsaud: avanço ou retrocesso?” é tema de audiência pública na Câmara

camara-dourados-ok

Está marcada para esta terça-feira, dia 22, uma Audiência Pública que tem como tema: “Funsaud: avanço ou retrocesso?”. O evento relaciona-se a Fundação de Saúde de Dourados, que é responsável pela gestão administrativa e hospitalar das unidades de saúde Hospital da Vida e UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

O ato está marcado para às 18h30, na Câmara de Vereadores. A proposta é da Comissão de Saúde, da qual fazem parte o vereador Elias Ishy (PT) – presidente, Daniela Hall (PSD) – vice e Juarez de Oliveira (MDB) – membro. A atividade contará com relatos de experiências onde serão abordas as condições de trabalho, os direitos trabalhistas, a mudança de regime, o funcionalismo público e o assédio moral.

Após vários problemas e irregularidades assinaladas pela Controladoria Geral da União (CGU) e pelo Ministério Público Estadual, a prefeitura determinou a intervenção das atividades exercidas pela Funsaud. Dívida milionária, débito de FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), falta de materiais básicos, número insuficiente de profissionais para atender, pacientes nos corredores e outros locais insalubres, entre outros problemas foram apontados pelos promotores.

Ishy explica que essa demanda surgiu justamente com os funcionários que tentam dialogar com a prefeitura sobre essas condições e a qualidade da saúde pública buscando soluções. “Sabemos da gravidade do assunto e construímos o evento justamente para que o Poder Público converse com os trabalhadores, trabalhadoras e com a população em geral. É um oportunidade de esclarecimento em meio a tantas angústias e indagações”, afirma Ishy.

Mais recente, a administração divulgou a intenção de desabilitar a “gestão plena”, repassando a responsabilidade para o Governo de Mato Grosso do Sul. De acordo com os profissionais, restam apenas dúvidas sobre o futuro. Eles lembram, no entanto, que só pela instituição são 600 famílias envolvidas e que o atendimento pelo SUS (Sistema Único de Saúde) é referência no Estado.