Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402496 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 404000 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5074 36466464 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5205 37419904 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402496 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 404000 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5074 36466464 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5205 37419904 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402496 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 404000 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5074 36466464 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5205 37419904 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402496 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 404000 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5074 36466464 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5205 37419904 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

Fundação MS poderá testar eficiência de fertilizantes visando o registro de novos produtos

Fundação MS poderá testar eficiência de fertilizantes visando o registro de novos produtos
Com essa medida, os resultados para os produtores chegarão de forma mais rápida. (Foto: Divulgação).

Com essa medida, os resultados para os produtores chegarão de forma mais rápida. (Foto: Divulgação).

Pesquisar e testar a eficiência e viabilidade agronômica, visando o registro de novos produtos, passa a fazer parte dos trabalhos desenvolvidos pela Fundação MS em suas 14 Unidades de Pesquisa em Mato Grosso do Sul. O credenciamento para essa atividade foi concedido pelo Ministério da Agricultura, em publicação no Diário Oficial da União, com base na Lei 6894/80, que dispõe sobre a inspeção e a fiscalização da produção e do comércio de fertilizantes, corretivos, inoculantes, entre outros itens destinados à agricultura.

O pesquisador da área de manejo e fertilidade do solo da Fundação MS, Douglas Gitti, explica que essa credencial amplia o trabalho da instituição na difusão de tecnologias. “As empresas do ramo de fertilizantes, incluindo nutrição de plantas e inoculantes, poderão nos solicitar o teste de diversos produtos que, posteriormente, poderão obter seu registro junto ao Ministério da Agricultura”.

Com essa medida, os resultados para os produtores chegarão de forma mais rápida. Os estudos, conforme o pesquisador, serão feitos com as culturas da soja e do milho. “Vamos encurtar o caminho, testando os produtos diretamente em nossas áreas, de forma que não haverá necessidade de outra empresa realizar essa tarefa anteriormente para apenas depois nos solicitar as pesquisas”, explica.

A Fundação MS realiza trabalhos de pesquisa aplicada em todo o Estado de Mato Grosso do Sul. Sua atuação é pautada em necessidades advindas dos produtores rurais do estado, que na sequência recebem as informações e resultados em um sistema de trabalho com base em demanda e difusão.

Os problemas e desafios encontrados nas lavouras são levantados por meio de seu conselho técnico-científico. Seus membros e pesquisadores elaboram protocolos de pesquisa que são levados a campo. Após o manejo, colheita e tabulação dos dados, os resultados são apresentados em cada uma das unidades de pesquisa por meio dos dias de campo, apresentações de resultados, publicações e, ainda, o Showtec.