Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402304 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403808 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4997 36042480 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5141 36985224 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402304 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403808 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4997 36042480 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5141 36985224 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402304 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403808 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4997 36042480 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5141 36985224 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402304 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403808 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4997 36042480 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5141 36985224 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

FCO terá R$ 1,7 bilhão para investimentos em MS

FCO terá R$ 1,7 bilhão para investimentos em MS
Agricultura familiar terá disponibilidade de recursos da linha para investimentos

Agricultura familiar terá disponibilidade de recursos da linha para investimentos

Produtores rurais e pequenos empresários de Mato Grosso do Sul vão ter acesso a R$ 1,7 bilhão oriundos do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) este ano, de acordo com dados divulgados hoje pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).

Os recursos serão concedidos por meio de bancos públicos e devem aquecer a economia, gerar emprego e renda, segundo o ministério. Montante possibilita o financiamento de projetos para abertura do próprio negócio, investimentos para expansão das atividades, aquisição de estoque e até para custeio de gastos gerais relacionados à administração – aluguel, folha de pagamento, despesas com água, energia e telefone.

Recursos serão usados para investimentos em setores como agricultura, pecuária, indústria, agroindústria, turismo, comércio, serviços e infraestrutura. A prioridade de acesso aos recursos são os micro, pequenos e pequenos-médios produtores rurais e urbanos. “Embora as operações de crédito sejam voltadas, prioritariamente, a atividades de pequeno e médio porte, também são asseguradas condições atrativas de financiamento a grandes investidores”, diz nota do ministério.

De todo o valor empenhado no Estado, o setor de agronegócio terá acesso a maior parte do recurso, sendo R$ 127.434.935,21 para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), e outros R$ 727.706.823,79 para demais rurais.

Quanto ao FCO empresarial, serão R$ 382.376.637,54 para o setor industrial; R$ 1342.227.731,95 para o setor de comércio e serviços, ciência, tecnologia e inovação; R$ 73.294.200,16 para turismo e R$ 57.243.189,35 para o setor de infraestrutura sul-mato-grossense.

Somando os recursos disponíveis para o FCO rural e empresarial, Estado tem o total de R$ 1.710.283.518,00 disponível.

Na região Centro-Oeste, são R$ 7,1 bilhões disponibilizados para contratação pelo FCO, sendo 10% para o Distrito Federal, 33% para Goiás e Mato Grosso e 24% para o Mato Grosso do Sul. A maior parcela dos valores destina-se ao agronegócio, enquanto o setor de infraestrutura na região poderá acessar R$ 296 milhões, de acordo com o MDR.

Fundos Constitucionais

Os Fundos Constitucionais foram criados para implementar a política de desenvolvimento regional e reduzir as desigualdades entre as diferentes áreas do país. As operações de crédito têm condições mais atrativas e possibilitam o financiamento de projetos para abertura do próprio negócio, investimentos para expansão das atividades, aquisição de estoque e até para custeio de gastos relacionados à administração.