Estado aguarda conclusão de estudo da Ferroeste para julho

Estado aguarda conclusão de estudo da Ferroeste para julho

ferroeste

O governo de Mato Grosso do Sul divulgou nesta quarta-feira (17) que o estudo técnico e ambiental, mais um passo em direção à privatização da Ferroeste (Estrada de Ferro Paraná Oeste S.A), fica pronto e será assinado em 30 dias. O ato de assinatura do EVTEA (Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental) terá a presença do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e do governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior em julho.

A ferrovia será novo canal de escoamento de grãos, farelo de soja, etanol e açúcar, produtos de Mato Grosso do Sul, até o Porto de Paranaguá, no Paraná. A data de conclusão do estudo foi anunciada na segunda-feira (15) pelo secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) durante a primeira reunião de trabalho depois que o projeto foi qualificado no PPI (Programa de Parcerias de Investimentos) movido pelo governo federal no Ministério da Economia.

Privatização – Além de Verruck, participaram da reunião o diretor-presidente da  Ferroeste André Luís Gonçalves, o secretário da Casa Civil do Governo do Paraná, Luiz Antonio Fagundes e o assessor de Logística da Semagro, Lúcio Lageman. Segundo, Luiz Antonio, o EVTEA foi licitado e contratado pelo Governo do Paraná com recursos do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). O grupo espera assinar o estudo, com a empresa ganhadora, em 30 dias.

Hoje estatal, o objetivo é conceder a ferrovia à iniciativa privada por meio de leilão na bolsa de valores. O governo trabalha com cronograma para leiloar a Ferroeste na B3 até o final de 2021. A ferrovia foi incluída em lista de rodovias, ferrovias e aeroportos vistos pelo ministro Paulo Guedes como bons investimentos para a iniciativa privada.

Projeto – Com a concessão, um dos objetivos é construir ramal de extensão na ferrovia até Maracaju (MS) com novo canal de escoamento das commodities até o Porto de Paranaguá. O projeto inicial da ferrovia prevê 1.371 quilômetros entre Maracaju e Cascavel (PR), a revitalização do atual trecho ferroviário entre Cascavel a Guarapuava, a construção de uma nova ferrovia entre Guarapuava e Paranaguá e a construção de um ramal multimodal entre Cascavel e Foz do Iguaçu.