Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4987 36042608 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5126 36985352 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4987 36042608 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5126 36985352 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4987 36042608 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5126 36985352 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4987 36042608 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5126 36985352 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

Em MS 10% das lojas de varejo fecharam às portas no ano passado

Em MS 10% das lojas de varejo fecharam às portas no ano passado

Os setores afetados foram os mais variados, mas com maior ênfase em áreas de materiais de construção (-18,3%), informática e comunicação (-16,6%), móveis e eletrodomésticos (-15%)

Pesquisa divulgada nesta sexta-feira (12) pela CNC (Confederação Nacional do Comércio) mostra que 9,9% das lojas de varejo de Mato Grosso Sul fecharam às portas em 2015 devido à crise econômica que atinge o setor em todo o país. Apesar do cenário negativo, o Estado ficou apenas na décima colocação entre as unidades federais com maior número de empresas desativados no Brasil. A média nacional ficou em 13,4%.

Em Dourados, o setor varejista também sentiu os efeitos da crise e várias lojas fecharam às portas

Em Dourados, o setor varejista também sentiu os efeitos da crise e várias lojas fecharam às portas

Em todo o país, o levantamento que usa dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) mostra que 95,4 mil lojas fecharam as portas no ano passado. Os setores afetados foram os mais variados, mas com maior ênfase em áreas de materiais de construção (-18,3%), informática e comunicação (-16,6%), móveis e eletrodomésticos (-15%).

Em volume de vendas, 2015 foi o segundo ano consecutivo em que houve retração. A a variação no número de lojas do varejo com vínculo empregatício, foi negativo no ano passado, pela primeira dos últimos dez anos.

E não foram só as lojas de pequeno porte que não resistiram aos impactos da crise econômica. A maioria (16,5%) dos fechamentos foram de empresas de médio porte, seguido por empresas de grande porte (-14,8%), comércio varejista (-13,4%), micro empresas (-12,9%) e por último, as pequenas (-12,5%).

JUCEMS

Números da Jucems (Junta Comercial do Estado de Mato Grosso do Sul) mostraram que o número de abertura de empresas em Mato Grosso do Sul registrado em 2015 foi o pior dos últimos 9 anos. A quantidade de pessoas que tiraram o negócio do papel começou a cair em 2014.

Foram abertas 7,6 mil empresas em 2013 e 6,7 mil em 2014, o que representa queda de 12%. No ano seguinte, o número caiu para 5,9 mil, retração de 11,7%, segundo o levantamento divulgado mensalmente pelo órgão, que é responsável pelo registro de atividades ligadas a sociedades empresariais.

 

Da redação, com informações do Campo Grande News