Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5819 36319584 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5964 37264280 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5819 36319584 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5964 37264280 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5819 36319584 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5964 37264280 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5819 36319584 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5964 37264280 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

Dourados poderá receber o primeiro Food Park no campus da UFGD

Dourados poderá receber o primeiro Food Park no campus da UFGD

 

food truk ufgd

Reunião para discutir a implantação de um Food Truck na UFGD. (Foto: Divulgação).

A UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) está interessada em implantar um Food Truck (parque de alimentação a céu aberto) no campus II, que fica localizado na Cidade Universitária, a 12 quilômetros do centro da cidade.

A universidade pretende expandir as opções de alimentação no local, que conta apenas com o Restaurante Universitário e cantina. O chefe de gabinete da Reitoria, Henrique Sartori de Almeida Prado, diz que falta opção em um local para atender um público de 10 mil pessoas diariamente, entre alunos, professores e técnicos.

Durante reunião para discutir o assunto foi decidido um evento teste, que indicaria a viabilidade de um Food Park permanente. Participaram desse encontro com a equipe da UFGD o vereador Mauricio Lemes (PSB), autor da Lei já aprovada pela Câmara de Vereadores, que regulamenta a atividade dos Food Trucks, representantes de Food Trukcs já instalados no município, representante da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes).

Para implantar o Food Truck a UFGD definirá um local e fará adaptações. Preços também serão discutidos, adaptando à realidade do público estudantil.A segurança do local também foi discutida.

O empreendedor Marcos Senna, que chegou de Manaus para trabalhar na cidade, participou da reunião e disse que está animado com o projeto. O vereador Maurício também destaca a importância da proposta. “É preciso reduzir a burocracia, diminuir taxas e tributos, ou seja, dar agilidade e gerar novas oportunidades em Dourados”, afirma Mauricio.

 

A Lei

Já foi aprovada na Câmara Municipal a Lei que implementa a atividade de Food Trucks em Dourados. Segundo o autor, o vereador Mauricio Lemes, a legislação vem atender a necessidade de geração de empregos e oportunidades, ainda mais diante da crise econômica e política em que passa o Brasil. O próximo passo é a sanção do Poder Executivo.

O texto dispõe sobre as regras para o funcionamento dos veículos automotivos que realizam a comercialização de alimentos em vias e áreas públicas, conhecido também como alimentação de rua ou comida sobre rodas. O que não se aplica, no entanto, a Feiras Livres ou qualquer outra atividade já prevista em Lei específica.

“Como todo comércio, há direito e deveres”, explica Mauricio. Segundo a legislação, os automóveis tem uma medida específica, com comprimento máximo de 6,30 metros e largura máxima de 2,20 metros. O funcionamento será exercido mediante permissão de uso, incumbindo a Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável estabelecer o número permitido, devendo indicar também os pontos possíveis para o estabelecimento.

Ainda de acordo com a Lei, o armazenamento, transporte, manipulação e a venda de alimentos deverão observar a legislação sanitária vigente no âmbito federal, estadual e municipal. “Há exigências quanto ao padrão de qualidade, quanto à distância de outros restaurantes. Não é uma atividade que isenta o empreendedor, por isso, não é uma concorrência desleal”, afirma Mauricio.

O principal, segundo o parlamentar, é que a Lei foi pensada para proteger os douradenses. “Um projeto desenvolvimentista para impedir que Dourados entre em um processo de recessão devido à situação nacional. Pensando no respeito aos trabalhadores, na manutenção da renda das famílias, nas necessidades básicas dos indivíduos, na ocupação de espaços públicos garantindo o bem-estar social”, afirma. (Da Redação, com informações da Assessoria).