Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.7538 35992736 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.7777 36929152 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.7538 35992736 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.7777 36929152 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.7538 35992736 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.7777 36929152 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.7538 35992736 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.7777 36929152 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

Douradense pretende gastar em média R$ 644 neste fim de ano

Douradense pretende gastar em média R$ 644 neste fim de ano

comercio

Os consumidores de Dourados devem gastar em média R$ 644,13 com comemorações de Ano Novo em 2019. O valor é o maior de Mato Grosso do Sul e representa um aumento de 72,7% em relação a 2018, quando a média foi de R$ 372,77.

Os dados são da Pesquisa de Intenção de Consumo e Comemoração no Natal e Ano Novo divulgada nesta terça-feira (3) pelo Sebrae/MS em parceria com o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio-MS (IPF-MS).

Para a economista e analista do Sebrae/MS Vanessa Schmidt, esse valor pode estar relacionado à característica da cidade de possuir muitas casas que são alugadas para festas de fim de ano e momentos de lazer. “Pode ser uma questão cultural da população de Dourados em reservar espaços para comemoração, o que aumenta o nível de gastos.”, afirma.

Entre os municípios do interior do estado, Dourados também possui a maior movimentação financeira total com as duas datas (R$ 75,2 milhões) e o maior valor estimado em festejos para o Ano Novo: os 53,9% dos consumidores que comemorarão a data vão movimentar financeiramente cerca de R$ 37,4 milhões.

A especialista explica que a tendência é que de fato as pessoas gastem mais com comemorações no Ano Novo do que no Natal. “Dourados está refletindo uma realidade que aconteceu em todo o estado. No Natal, as pessoas tendem a comemorar mais com a família, é uma data mais simbólica. Já no Ano Novo, usualmente não ficam em casa: é a data que vão para clubes e festas”.

Outro destaque é o aumento do valor médio do presente de Natal, de R$ 293,89 para R$ 356,74. O número de pessoas que irão presentear e o valor estimado em compras também aumentou – este ano, 56,8% dos consumidores irão comprar presentes, representando uma movimentação financeira de R$ 21,8 milhões contra os R$ 17,3 milhões de 2018.

Segundo a economista, esse crescimento é reflexo de indicadores que começam a ficar mais positivos. “Há uma leve recuperação econômica. Este ano, alguns fatores influenciaram nessa expectativa de gastos do consumidor, como por exemplo a liberação do FGTS, uma medida que estimula o consumo”, ressalta Vanessa. Em todo o estado, a movimentação financeira com compra de presentes e comemorações de Natal e Ano Novo deve chegar a quase R$ 1 bilhão.

Pesquisa

O estudo ouviu 1.692 pessoas em Campo Grande, Dourados, Bonito, Coxim, Três Lagoas, Ponta Porã e na região do Pantanal (Corumbá e Ladário). As entrevistas foram aplicadas entre os dias 28 de outubro a 18 de novembro e o índice de confiança é de 95%.