Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5157 35508168 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5366 36431424 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5157 35508168 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5366 36431424 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5157 35508168 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5366 36431424 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5157 35508168 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5366 36431424 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

Dólar fecha quase estável, a R$ 3,419, com BC e de olho nos EUA

Dólar fecha quase estável, a R$ 3,419, com BC e de olho nos EUA

 

17/11/2016

 

Moedas

Dólar Comercial: 3,4173 (compra) 3,4189 (venda) -0,08% (variação)

Dólar Turismo: 3,2500 (compra) 3,5900 (venda) 0,0% (variação)

Euro Comercial: 3,6473(compra) 3,6525 (venda) -0,12% (variação)

Libra: 4,2598 (compra) 4,2660 (venda) +0,17% (variação)

Guarani: 1.620 (compra) 1.700 (venda)

 

Bolsa

Índice Bovespa fechou em -1,63% (59.770,47) nesta quinta-feira.

 

Commodities

Cotação do dia 16/11/16

Soja: 69,00(BA) 72,37(GO) 74,05(MG) 69,88(MS) 66,99(MT) 67,11(PR) 68,26(RS)  69,73(SC) 71,06(SP)

Milho: 45,42(BA) 37,57(GO) 41,04(MG) 28,44(MS) 27,60(MT) 30,69(PR) 39,44(RS) 37,88(SC) 33,94(SP)

Algodão: 85,40(BA) 62,14(GO) 83,67(MG) 68,00(MS) 79,41(MT)

Arroz: 50,00(BA) 68,00(MT) 70,04(PR) 48,93(RS) 62,15(SP)

Feijão: 215,83(BA) 227,70(PR) 211,30(RS) 202,20(SC) 189,29(SP)

 

Bovinos: 152,34(BA) 141,20(GO) 145,90(MG) 140,00(MS) 128,68(MT) 150,78(PR) 4,84(RS) 157,61(SC) 150,46(SP)

Aves: 3,30(MG) 2,92(PR) 2,42(SC) 3,10(SP)

 

Petróleo (Brent): US$ 43,730 (-1,13%)

Ouro: US$ 1216,990 a onça-troy (+0,01%)

Prata: US$ 16,700 (-0,12%)

Platina: US$ 936,500 (+0,005%)

Paládio: US$ 728,900 (-0,15%)

 

Índices

Salário Mínimo: R$ 880,00 (2016)

Global 40: +112,32

TR: +0,20%

CDI: +13,88%

SELIC: +14,00% (20/10)

IPCA: +0,26% (Out/16).

IPC-Fipe: +0,27 (Out/16)

IGP-M: +0,16 (Out/16)

INPC: +0,17 (Out/16)

 

UAM-MS (Unidade de Atualização Monetária de MS)

– Outubro/2016: R$ R$ R$ 3,5350

– Setembro/2016: R$ R$ 3,5199

– Agosto/2016: R$ 3,5337

– Julho/2016: R$ 3,4770

– Junho/2016: 3,4381

– Maio/2016: R$ 3,4258

– Abr/2016: R$ 3,4111

– Mar/2016: R$ 3,3844

– Fev/2016: R$ 3,3334

– Jan/2016: R$ 3,3188

 

UFERMS

– Dez/2016: R$ 24,39

– Out/2016: R$ 24,28

– Ago/2016: R$ 23,99

– Jun/2016: R$ 23,63

– Abr/2016: R$ 23,35

– Fev/2016: R$ 22,90

 

ESTATÍSTICAS DA ECONOMIA AGRÍCOLA ANO BASE 2015

http://www.agricultura.gov.br/arq_editor/Pasta%20de%20Dezembro%20-%202015.pdf

 

BALANÇA COMERCIAL DE MS

– Carta de Conjuntura Junho de 2016 – http://www.semade.ms.gov.br/wp-content/uploads/sites/20/2016/06/Setor-Externo-Junho-2016.pdf

 

Pacote de notas de cinco dólares dos Estados Unidos são inspecionados em Washington, nos EUA 26/03/2015 REUTERS/Gary Cameron/File Photo

Dólar fica estável na quinta-feira. (Foto: Gary Cameron/REUTERS).

Dólar tem leve baixa ante real, longe da mínima,

com apostas de juros altos nos EUA

O dólar fechou com ligeira baixa nesta quinta-feira, longe das mínimas do dia com mais apostas de que o Federal Reserve, banco central norte-americano, elevará em breve os juros do país, o que tende a atrair recursos aplicados em outros mercados, como o brasileiro.

O cenário externo acabou amortecendo parte da atuação do Banco Central brasileiro, que continuou atuando no mercado de câmbio após as fortes e recentes altas do dólar.

O dólar recuou 0,08 por cento, a 3,4189 reais na venda, segunda queda seguida, acumulando perdas de 0,64 por cento. O dólar futuro registrava leve alta de cerca de 0,05 por cento no final desta tarde.

Na mínima do dia, o dólar chegou a 3,3876 reais e, na máxima, a 3,4290 reais.

A eleição de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos não alterou em nada os planos do Federal Reserve, banco central norte-americano, de aumentar a taxa de juros “relativamente em breve”, disse nesta sessão a chair do Fed, Janet Yellen, em depoimento no Congresso que incluiu a promessa de cumprir o seu mandato.

Foi a primeira manifestação pública de Yellen após a vitória de Trump, acrescentando que o Fed mudaria sua perspectiva se necessário, conforme a nova administração lançasse planos para, talvez, cortar impostos em centenas de bilhões de dólares e fazer gastos governamentais adicionais. Ela também sugeriu que o novo governo tenha em mente que os EUA estão perto do pleno emprego e a inflação pode estar aumentando.

Além disso, importantes indicadores econômicos nos Estados Unidos foram divulgados mais cedo, reforçando ainda mais a visão de uma política monetária mais apertada. O Fed se reúne novamente em dezembro, com as apostas majoritárias do mercado de que elevará os juros.

Pela manhã, o dólar chegou a marcar 1 por cento de queda frente ao real influenciado pelos leilões de swap tradicional, equivalente à venda futura de dólares, pelo BC. (Reuters).

 

Petrobras vende Liquigás

para Ultragaz por R$2,8 bi

A Petrobras informou que seu Conselho de Administração aprovou nesta quinta-feira a venda da Liquigás para a Ultragaz, subsidiária da Ultrapar, em negócio de 2,8 bilhões de reais que depende de aval de autoridades antitrustre por elevar fortemente a concentração no mercado de gás de cozinha do país.

A aprovação da venda da Liquigás, que confirma relatos desta quinta-feira de fontes com conhecimento da transação, integra o programa de desinvestimentos da Petrobras, que prevê arrecadar 15,1 bilhões de dólares em 2015 e 2016, como forma de a estatal reduzir seu enorme endividamento.

Com a venda da Liquigás, a Petrobras atingiu desde o início de 2015 um total de 11 bilhões de dólares em desinvestimentos, mas o montante da transação com a Ultrapar só deve entrar no caixa da estatal no fim de 2017, uma vez que o negócio terá que passar por avaliação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), disse a gerente-executiva de aquisições e desinvestimento da Petrobras, Anelise Quintão Lara.

“Vai ter um período de transição entre a assinatura de contrato e o closing de alguns meses, porque vai passar pelo Cade e imaginamos que o closing vai acontecer no fim de 2017”, afirmou a jornalistas, ressaltando que a empresa está confiante de realizar negócios até o fim do ano que atinjam a meta.

Ela disse que a venda da Liquigás ficou dentro da faixa de valor estimada pela Petrobras. A gerente afirmou ainda que eventuais operações decorrentes de concentrações de mercado serão de responsabilidade do grupo comprador da Liquigás.

A empresa, subsidiária integral da Petrobras, atua no engarrafamento, distribuição e venda de gás liquefeito de petróleo (GLP). A empresa opera em quase todos os Estados do país e conta com 23 centros operativos, 19 depósitos e uma rede de cerca de 4.800 revendedores autorizados, segundo a Petrobras.

Já a Ultragaz, primeira distribuidora de GLP do Brasil, fundada em 1937, atende aproximadamente 11 milhões de domicílios no segmento envasado e 50 mil clientes no segmento granel.

 

Em meio a preocupações sobre aumento da concentração de mercado, a Ultrapar afirmou que os consumidores serão beneficiados pelo negócio. (Reuters).

 

Ritmo de contração ganha força e economia

do Brasil recua 0,78% no 3º tri, aponta BC

A atividade econômica brasileira fechou o terceiro trimestre com contração, acelerando as perdas sobre os três meses anteriores segundo dados do Banco Central divulgados nesta quinta-feira, num reflexo claro da dificuldade que a economia tem mostrado para sair da recessão.

Os dados dessazonalizados do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), mostraram que a economia do país contraiu 0,78 por cento nos três meses até setembro na comparação com o período anterior. A queda no segundo trimestre ante o primeiro foi de 0,42 por cento.

O resultado negativo se deu apesar da alta de 0,15 do indicador em setembro na comparação com o mês anterior, melhor leitura desde junho, contra expectativa em pesquisa da Reuters de avanço de 0,20 por cento.

Isso porque em julho e agosto o IBC-Br apresentou quedas respectivamente de 0,18 e de 1 por cento na base mensal. Neste ano, números positivos foram registrados apenas em abril, maio e setembro.

“Algum sinal mais evidente de reversão da atual recessão… só deve vir no começo do próximo ano. Crescimento, talvez só no final de 2017”, avaliou em nota o economista-chefe do Banco Fator, José Francisco Gonçalves, que projeta queda de 3,3 por cento do PIB este ano e estabilidade em 2017.

Em relação a setembro do ano passado, o IBC-Br recuou 3,44 por cento. No acumulado em 12 meses, a queda atingiu 5,42 por cento, sempre em números dessazonalizados.

O que evitou a queda do indicador em setembro foi a leve alta de 0,5 por cento da produção industrial após duas quedas mensais seguidas, mas num resultado ainda insuficiente para abrir caminho para uma recuperação sustentada.

Por outro lado, o ritmo de queda das vendas no varejo brasileiro acelerou em setembro para 1 por cento, e o setor registrou o pior resultado para o mês em 14 anos, enquanto o setor de serviços apresentou recuo de 0,3 por cento no volume de vendas no mesmo mês.

O IBC-Br incorpora projeções para a produção no setor de serviços, indústria e agropecuária, bem como o impacto dos impostos sobre os produtos. (Reuters).

 

Job reduz previsão de consumo

e exportação de etanol do país

Com uma safra de cana menor do que a esperada no centro-sul e usinas produzindo um volume recorde de açúcar, a Job Economia reduziu nesta quinta-feira suas estimativas de produção, consumo e exportação de etanol do Brasil.

Com os preços da gasolina mais competitivos que o etanol hidratado, motoristas em geral estão preferindo o combustível fóssil em detrimento do renovável. De outro lado, usinas estão produzindo o máximo que podem de açúcar, para tirar proveito dos bons preços no mercado global.

A produção de etanol do país foi projetada pela Job na temporada 2016/17 em 27,85 bilhões de litros, ante 29,15 bilhões de litros na projeção de setembro, com o centro-sul do país respondendo pela grande parte do volume. Na temporada passada, a produção no Brasil atingiu 30,23 bilhões de litros.

Já a projeção de consumo nacional de etanol (anidro e hidratado) na temporada 2016/17 foi reduzida para 26,6 bilhões de litros, ante 28 bilhões de litros previamente, por “restrição da oferta”, disse a consultoria em nota. Na safra anterior, o consumo atingiu 28,15 bilhões de litros.

Dessa forma, a Job revisou para baixo as exportações brasileiras de etanol (para 1,6 bilhão de litros, versus 2,1 bilhões de litros anteriormente) e elevou ligeiramente a projeção de importações do biocombustível (para 1,2 bilhão, versus 1,1 bilhão de litros).

Na temporada passada, o Brasil exportou 2,16 bilhões de litros e importou 500 milhões de litros.

As mudanças nas projeções ocorrem em meio a uma redução na estimativa de moagem de cana-de-açúcar do centro-sul do Brasil, região que responde por cerca de 90 por cento da produção nacional, para 618,4 milhões de toneladas, ante 632 milhões de toneladas na previsão anterior.

Segundo a consultoria, a redução ocorre por “razões estatísticas”, uma vez que cerca de 14 milhões de toneladas de cana da safra 2016/17 foi moída na segunda quinzena de março de 2016 e contabilizada na safra 2015/16.

Além disso, citou a Job, a renovação dos canaviais e tratos culturais ainda estão deficientes e pragas e doenças afetaram as produtividades.