Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402304 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403808 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5367 35989608 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5578 36926024 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402304 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403808 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5367 35989608 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5578 36926024 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402304 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403808 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5367 35989608 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5578 36926024 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402304 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0001 403808 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.5367 35989608 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5578 36926024 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

Dia das Crianças deve movimentar R$ 132 mi em MS

Dia das Crianças deve movimentar R$ 132 mi em MS

dia criança

A economia de Mato Grosso do Sul deve movimentar R$ 131,93 milhões em alusão ao Dia das Crianças, celebrado no dia 12 de outubro, um aumento de 1,34% em relação a 2018, segundo o levantamento do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio-MS.

Do valor total, R$ 97,18 milhões serão destinados a presentes e R$ 34,74 milhões devem ser gastos em comemorações com os pequenos.

O valor médio do presente ficou em R$ 154,01, aumento de 11% na comparação com a pesquisa de 2018. Já o gasto médio com as comemorações a data teve queda de 12%, atingindo os R$ 109,58. Entre os que vão presentear, 87% disseram que vão para alguma atividade de lazer ou interação.

A pesquisa aponta que o maior gasto médio pode ocorrer em Três Lagoas, custando R$ 167,26, e as comemorações ficaram em R$ 136,79 em Corumbá e Ladário. Na Capital, a estimativa é de que sejam movimentados R$ 25,3 milhões, com valor médio de R$ 133,19.

Os brinquedos aparecem na preferência dos entrevistados, com 47%, seguidos por roupas (24%) e calçados (7%).

“As famílias até abrem mão das comemorações para reduzir os gastos, mas do presente não. E neste ano percebemos um aumento no número de pessoas que vão presentear e do gasto médio com presentes”, diz a economista Daniela Dias.

O levantamento foi realizado com 1.695 pessoas de Campo Grande, Corumbá, Ladário, Bonito, Coxim, Dourados, Ponta Porã e Três Lagoas, entre 13 e 23 de setembro.