Deputados falam em parceria para alavancar Dourados

Deputados falam em parceria para alavancar Dourados

aced

Em reunião entre diretores da Aced (Associação Comercial e Empresarial de Dourados) e parlamentares da bancada que representa Dourados na Assembleia Legislativa, tanto empresários quanto deputados defenderam aproximação para alavancar a economia do município. O encontro aconteceu na Sala do Associado, na sede da entidade.

O deputado estadual José Carlos Barbosa, o Barbosinha, destacou a preocupação com o índice de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) recebido por Dourados. De acordo com ele, em 2016 era de 7,7; já em 2017 caiu para 6,38; em 2018 chegou a 6,39; este ano caiu para 6,01 e para 2020 a previsão é de que reduza para 4,9. “Isso torna do ponto de vista econômico e financeiro, inadministrável Dourados. Eu não vejo que Dourados tenha encolhido”, afirma ele, dizendo que outros municípios estão ficando com essa fatia de recursos e isso precisa ser revisto, já que Dourados é um polo.

Zé Teixeira ainda pontuou que acredita que após a reforma da previdência, haverá uma reforma do ICMS no Brasil e que isso vai mexer com o comércio. “Essa aproximação dos parlamentares aqui dentro da Aced é salutar, para que a gente possa fazer um trabalho em conjunto para defender o setor que gera emprego, que é o comércio da nossa Grande Dourados”, afirma o parlamentar.

O deputado Renato Câmara defendeu que é preciso solucionar alguns problemas históricos, entre estes, a implantação da Ceasa (Central de Abastecimento) em Dourados, para agregar valor ao sistema de produção dos agricultores familiares, beneficiar os comerciantes e atrair investidores. “A Aced assume esse protagonismo ao nos convocar para debater francamente os desafios enfrentados pelo setor e os gargalos existentes no município. Estamos à disposição para levar ao Estado e à bancada federal os projetos de interesse da classe empresarial de Dourados e que, certamente, contribuem para abertura de novas empresas e para a geração de emprego e renda para nossa gente”, pontuou.

Marçal Filho acredita é necessário que as prefeituras façam parcerias público-privadas (PPP), ao invés de esperar apenas os recursos dos governos federal e estadual, e que em Dourados é possível realizar essas parcerias para garantir benfeitorias, como obras públicas. Ele ainda acredita que os deputados devem ser mais acionados pelos empreendedores. “Eu acho que nós da classe política, agentes públicos, estamos aquém dos empreendedores da nossa cidade. Tem gente aqui fazendo empreendimentos fantásticos inéditos no Mato Grosso do Sul e se isso está acontecendo é porque Dourados é grande, tem campo, tem espaço, e nós estamos ainda pensando pequeno enquanto poder público”, afirmou e defendeu que Dourados precisa retomar seu protagonismo.

Depois de atender a imprensa, os parlamentares seguiram para a Sala do Associado da Aced na tarde de sexta-feira, dia 18, onde se reuniram com os gestores da entidade. Cada parlamentar teve dez minutos para expor seu posicionamento e defender projetos que impactam o setor empresarial. Em seguida, os diretores da associação puderam fazer questionamentos e expor as reivindicações dos empresários.

O presidente da Aced, Nilson Aparecido dos Santos, destacou que entre as solicitações dos empreendedores manifestadas na reunião, está a busca por um atendimento mais ágil aos empresários do interior, quando procuram por serviços no Governo do Estado. Ele esclarece ainda que solicitou aos deputados que instituam um líder de bancada para Dourados na AL, com o objetivo de estabelecer um canal direto que chegue a todos os parlamentares que representam o município.

“Hoje nós precisamos ir de gabinete em gabinete quando enviamos as solicitações e sempre estão abertos ao diálogo. Com a bancada constituída e um canal direto, acreditamos que as soluções podem caminhar com mais agilidade e de maneira assertiva. Essa reunião que realizamos na Aced foi muito produtiva e apenas o começo. Nosso grande objetivo é aglutinar os agentes públicos, para que juntos consigamos atender o setor empresarial, que é propulsor do desenvolvimento”, afirma o presidente.