Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4953 36537032 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5114 37491008 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4953 36537032 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5114 37491008 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4953 36537032 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5114 37491008 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4953 36537032 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5114 37491008 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

CRESCE FATIA DO FCO, QUE SOBE DE R$ 1,36 PARA R$ 2,24 BI

CRESCE FATIA DO FCO, QUE SOBE DE R$ 1,36 PARA R$ 2,24 BI

 

fco-reuniao

Azambuja: “Aprovamos mudanças nas regras de financiamento que vão beneficiar o setor rural e empresarial do Estado”. (Foto: Sudeco).

O governador Reinaldo Azambuja garantiu nesta quarta-feira (7) o aumento do volume de recursos do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) para Mato Grosso do Sul em mais de R$ 880,00 milhões. O montante destinado ao Estado subiu de R$ 1,36 bilhão para R$ 2,24 bilhões em 2017. A aprovação desta reivindicação aconteceu em Brasília na 7ª Reunião do Conselho Deliberativo Centro-Oeste (Condel/Sudeco), que contou com a presença dos governadores da região Centro-Oeste, da Sudeco, do Ministério da Integração e do secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck.

Além do aumento no valor do FCO outras mudanças nas regras de financiamento foram garantidas para ampliar a abrangência e facilitar o acesso ao crédito. A expectativa, agora, é de que o governo federal reduza as taxas de juros do Fundo, atendendo às solicitações dos governadores do Centro-Oeste.

“Aprovamos mudanças nas regras de financiamento que vão beneficiar o setor rural e empresarial do Estado”, disse o governador.

“É uma conquista muito significativa para Mato Grosso do Sul, pois auxilia em nosso trabalho de atração de novos empreendimentos. Não foi somente a ampliação no valor do recurso destinado ao Estado, mas um série de mudanças nas regras de financiamento que vão beneficiar o setor rural e empresarial”, avaliou o governador.

Reinaldo disse ainda que o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles está sensível ao pedido de redução das taxas de juros do FCO, feito pelos governadores do Centro-Oeste por meio do Fórum Brasil Central e que deverá ser avaliado na próxima reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN). “Fizemos um apelo ao ministro, juntamente com os demais governadores e bancada e ele se mostrou sensibilizado. Nossa expectativa é otimista, pois com a redução dos juros, o FCO vai se tornar mais atrativo e conseguiremos mais projetos de investimento”, afirmou.

O secretário Jaime Verruck, acompanhou o governador Reinaldo Azambuja na reunião do Condel. Segundo ele, as mudanças que foram apresentadas à Sudeco e validadas pelo Conselho “terão um impacto relevante na captação de mais empreendimentos”. Entre as mudanças está a desvinculação de insumos e estoque nos empréstimos de capital de giro, possibilitando o uso para quitar despesas, inclusive de folha de pagamento, além da extensão dessa modalidade para grandes empresas (não somente micro, médias e pequenas). Essa alteração já está em vigor a partir deste mês.

Além disso, foi incluída a possibilidade de financiamento de projetos para a retenção de matrizes suínas e a ampliação do percentual de repasse do Banco do Brasil, de 7% para 10% ao BRDE, agências de fomento e cooperativas.