CORREDOR BIOCEÂNICO VAI REDUZIR CUSTOS EM 71%

CORREDOR BIOCEÂNICO VAI REDUZIR CUSTOS EM 71%

corredor

O ministro de carreira diplomática do Ministério das Relações Exteriores, João Carlos Parkinson de Castro, disse que o uso do corredor biocêanico pode trazer redução de custos de até 71% em logística. Ele explica que essa redução é referente a uma carga de trigo saindo da localidade de Tucuna até Campo Grande.

Castro destacou que a agenda de estudos do grupo se diversificou em relação ao início, 2015 e estão sendo feito agora estudos niveladores através da análise de custos logísticos. Entre outros pontos já identificados, está a necessidade de auxiliar na elaboração do plano diretor de Porto Murtinho. Também serão objeto de estudo a abertura do porto seco de Campo Grande, como esse terminal impacta o cone sul e qual será o efeito dele na logística.

A abertura oficial contou com as presenças do governador Reinaldo Azambuja, do coordenador Nacional do GT pelo Brasil, ministro João Carlos Parkinson de Castro; do coordenador do GT pela Argentina, Patrício Perciavalle; do coordenador do GT pelo Chile, embaixador Roberto Ruiz Piraces e da coordenadora do GT pelo Paraguai, embaixadora Glória Irma Amarilla.

Amanhã (22), a VIII Reunião do Grupo de Trabalho do Corredor Rodoviário Bioceânico receberá o ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, para participar da mesa de encerramento do evento, que está programada para as 11h50.