Warning: Use of undefined constant ‘imagem - assumed '‘imagem' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4762 36534840 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4930 37488816 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: Use of undefined constant noticias’ - assumed 'noticias’' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4762 36534840 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4930 37488816 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4762 36534840 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4930 37488816 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 Warning: A non-numeric value encountered in /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php on line 52 Call Stack: 0.0001 402368 1. {main}() /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:0 0.0002 403872 2. require('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/index.php:17 0.4762 36534840 3. require_once('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.4930 37488816 4. include('/home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-content/themes/IndicadorEco_2_0/single.php') /home/indicadoreconomico.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106

Celulose fica com 50% da exportação do Estado

Celulose fica com 50% da exportação do Estado

03-0217-0228-celulose1

Responsável por 50,3% de participação na pauta de exportações de Mato Grosso do Sul no primeiro bimestre deste ano, a celulose bateu recorde na receita de vendas externas nos meses de janeiro e fevereiro e totalizou US$ 339,437 milhões, de acordo com dados da Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia. Entre janeiro e fevereiro, as exportações sul-mato-grossenses alcançaram valor total de US$ 674,774 milhões, representando crescimento de 1,53% diante do mesmo período de 2018, quando as vendas externas do Estado ficaram em US$ 664,583 milhões.

Somente no comparativo com o mesmo período de 2018, quando foram vendidos US$ 273,349 milhões em celulose para o exterior, o avanço foi de 24,1%. Em relação ao volume enviado para o exterior, o aumento foi de 3,7% e os embarques de celulose produzida e processada em MS totalizaram 682,850 mil toneladas, ante 658,301 mil toneladas entre janeiro e fevereiro do ano passado.

De acordo com o consultor de empresas e especialista em mercado exterior Aldo Barigosse, o bom desempenho da celulose nas exportações sul-mato-grossenses resulta da expansão que o produto teve no Estado a partir da década passada. “Nos últimos 10 anos, Mato Grosso do Sul vem se consolidando como principal fornecedor de celulose para o mundo. Havia uma fábrica em Três Lagoas, depois passaram a ser duas [Eldorado e Fibria], e há pouco tempo essa segunda indústria fez a sua ampliação e dobrou de tamanho. Isso fez com que se ampliasse a oferta de celulose, é um número expressivo [o montante comercializado para o exterior] e que vai se manter pelos próximos anos”, destacou.