Câmara setorial vai impulsionar a cadeia produtiva da guavira

Câmara setorial vai impulsionar a cadeia produtiva da guavira
Ao lado do superintendente da Semagro Rogério Beretta, deputado Renato Câmara assina termo de implantação da Câmara Setorial de Plantas Nativas de MS

Ao lado do superintendente da Semagro Rogério Beretta, deputado Renato Câmara assina termo de implantação da Câmara Setorial de Plantas Nativas de MS

Mato Grosso do Sul passa a contar com mais um organismo de apoio ao fomento e desenvolvimento da cadeia produtiva das plantas nativas, como é o caso da guavira, fruto símbolo do Estado. Trata-se da Câmara Setorial das Plantas Nativas de MS, implantada nesta terça-feira (29) pelo governo do Estado, durante a realização do 2º Seminário Estadual da Guavira.

Autor do projeto de lei que transformou a guavira em fruto símbolo do Estado e apoiador dos projetos de desenvolvimento da agricultura familiar, o deputado Renato Câmara (MDB) participou da solenidade de implantação da câmara setorial, que será composta por representantes de órgãos e entidades que atuam diretamente com a cadeia, como a Agraer, Semagro, Fiocruz, Embrapa, Assomasul e de diversas universidades instaladas no Estado.

Conforme o deputado, a proposta de implantação da câmara setorial surgiu durante os debates realizados na primeira edição do seminário da guavira, realizado no ano passado. Desde então, às entidades, instituições e agentes envolvidos na discussão atuaram para formatar uma estrutural organizacional que possa dinamizar o desenvolvimento da cadeia produtiva da guavira e de outros frutos nativos. “A Câmara Setorial nasce com a missão de ajudar na elaboração de políticas públicas e projetos para o desenvolvimento da cadeia produtiva da guavira no Estado”, disse Renato Câmara.

O parlamentar enfatizou ainda que, através da criação da câmara setorial, MS dá um passo decisivo para ampliar as discussões e estudos sobre a bioeconomia, envolver todos os agentes que atuam nestas cadeias produtivas e para planejar ações estratégicas e projetos que promovam o desenvolvimento sustentável, tecnológico e de gestão no Estado. “Os recursos vegetais nativos, além de fonte de alimentos, podem ser utilizados para obtenção de fibras, pigmentos, condimentos, aromas, energia e de princípios ativos para a produção de medicamentos. Acredito que com a criação da Câmara setorial, nosso Estado dá um passo importante para fortalecer e alavancar atividades econômicas relacionadas ao uso de plantas nativas, como é o caso da guavira”, finalizou Renato Câmara.

Através da câmara setorial, o Estado poderá aprimorar às ações de apoio aos produtores de plantas e frutos nativas com assistência técnica rural, mudas e sementes e implementação de boas práticas agropecuárias, entre outras ações.  “A Câmara Setorial envolve vários segmentos da sociedade, produtor, pesquisador, indústria e sociedade civil, e será importante para organizar a cadeia produtiva e para que o Estado saiba como pode auxiliar todo esse processo”, explicou o superintendente de Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, Produção e Agricultura Familiar, Rogério Beretta.